Parábola do filho pródigo

0

 

  O leitor desculpe este mero jornalista por fazer uma analogia, bastante atípica, sobre a famosa parábola do filho pródigo, com uma história surrealista, fruto da mente fértil e até mesmo insana deste profissional de imprensa. Com certeza a história abaixo foi fruto de mais um pesadelo deste jornalista e alguma semelhança com fatos ou pessoas da atualidade é mera coincidência.

   Conta a história mais recente no reino muito distante, dos cajueiros e papagaios, que um déspota, prestes a perder o poder depois de muitos e muitos anos revezando-se no mesmo através dos seus súditos mais confiáveis, resolveu inserir o único filho homem na arte do poder.

   O filho, dizia há todos, e para a imprensa do reino que era contra política, jamais seria candidato e preferia cuidar dos negócios privados do pai. Porém, o filho ao ver que um dos parentes – um cunhado para ser mais preciso – estava sendo o mágico da corte, transformando meros reais em muitos milhões em pouco tempo, construindo uma verdadeira rede de negócios em torno da ilha    onde ficava o reino, resolveu entrar no esquema.

   Mesmo sem experiências para os negócios públicos do reino, o filho, estimulado pelo pai, começou a fazer o chamado lobby com os comerciantes e mercadores que tinham negócios em todas as áreas. Afoito, o pequeno príncipe foi com sede ao pote, começou de mansinho, mas em pouco tempo estava pedindo alto para que os negócios fossem concretizados, não só no reino onde o pai comandava, mas em outras cortes.

  O pai, todo orgulhoso, via tudo de longe, mas quando era necessário reforçava o pedido do filho através de correspondência – naquela época não havia a tecnologia do celular nem o sistema guardião da Polícia Federal para prender todos os corruptos – e até mesmo em viagens cansativas a outras cidades. Todo sacrifício estava retornando em recursos concretos e os cofres do filho, cada dia enchia mais. Nem mesmo as brigas entre o filho e o cunhado, onde a família ficou dividida -e a oposição e a imprensa maldosa do reino tornaram as mesmas públicas para todos os súditos -não foram suficientes para reduzir a ânsia, ou melhor, a sede de conseguir mais e mais recursos dos cofres públicos.

  Pois bem, mas o povo se rebelou e, depois de meses de luta e disputa, derrubaram o déspota e todos os seus fieis seguidores. O filho desfilou em praça pública, preso e amarrado – naquele tempo não existiam  algemas – antes de ir para o calabouço onde ficou o resto da vida. Já o déspota, em fim de carreira, ainda teve a oportunidade de ficar pelas ruas, delirando, discursando e chamando todos de sanguinários. O leitor pergunta: qual o motivo da comparação desta história surrealista com a parábola do filho pródigo? O jornalista responde: o final. Enquanto na parábola o filho volta para casa depois de ter estourado toda a herança e o pai aceita de braços abertos, nesta história o pai se penitencia até hoje devido a falta de juízo do filho que ingressou na política por pressão dele e perdeu todos os bens e recursos que foram confiscados pela Justiça da corte. Ou seja, o filho acabou pagando pelo pai.

 

 

PT atrapalha o próprio PT I

De um leitor: “O pior é que o jargão de que as esquerdas só se unem na cadeia, a cada dia se torna uma realidade, infelizmente. Especialmente quando vemos aliados de ontem se tornando os algozes de hoje. É impressionante como o PT atrapalha o próprio PT, não se vê coisa igual em outros partidos, apesar de divergências há uma unidade, no PT facções, agrupamentos, correntes, etc; tudo se justifica em nome de uma “diversidade”, é muito complicado administrar isso e mais ainda governar para atender a tantos senhores, tantos companheiros e neo-companheiros. O Lula deve ter sofrido o diabo no seu primeiro mandato e o resultado ta aí, com o julgamento do STF. Parece família desunida que não pode ver um parente crescer que logo quer “melar”, perturbar o sossego. É como dizia o personagem, o bicheiro “Brotas” (de José Wilker): “isso é felomenal”

 

PT atrapalha o próprio PT I

Continua o leitor: “É secretário que não se cumprimenta, é vaidade demasiada, é um querendo derrubar o outro, é uma zorra. O pior é que tudo isso compromete o chamado sonho das mudanças, pois, tais atitudes ajudam ao não acontecer, ao não decolar. E aí não tem líder que vá pra frente, pode ser carismático como for, mas acaba se desgastando demasiadamente, sem necessidade, de forma burra, pois, se o exercício regular do poder naturalmente causa desgastes decorrentes da própria natureza de governar, quanto mais com gente do próprio governo atrapalhando o andar da carruagem. Não tem cristão que agüente! E aí, fertiliza e aduba o campo para a volta das “velhas raposas” com o discurso da “comprovada competência”, da “reciclagem”. Quem perde o bonde da história só na outra encarnação para pegá-lo novamente, pois, o presente é cruel, não perdoa”.

 

Congresso do PT

Os petistas decidiram que o Processo de Eleição Direta – PED será realizado em dezembro. Foi consenso entre todos os delegados. Segundo o presidente estadual do partido em Sergipe, Márcio Macedo, as eleições diretas serão para todos os níveis, desde a direção nacional, passando pela direção estadual e os diretórios municipais. Márcio informou que ficou decidido que o PT terá candidato a presidente da República, mas não foram colocados na mesa nenhum nome. Em matéria, da FSP, de hoje, 03, o  governador Marcelo Déda afirmou que qualquer antecipação do debate sucessório é ruim para quem está no governo. “Isso não precisaria ter sido explicitado em uma decisão do congresso, muito embora o mérito esteja correto”, afirmou Déda.

 

Déda entre os possíveis candidatos

Trecho da matéria da FSP, de hoje, 03: “As tendências que fazem oposição interna ao grupo majoritário não seguravam a satisfação. “A nota para mim deixa bastante claro que a candidatura será do PT. E que não será uma candidatura para marcar posição, mas para ganhar a eleição”, disse o secretário de Relações Internacionais, Valter Pomar, da ala Articulação de Esquerda. O ex-ministro José Dirceu (Casa Civil), outro defensor da candidatura própria petista, ressaltou a necessidade de entendimento com os partidos aliados, mas não se conteve e chegou a elencar possíveis nomes do partido. “O PT tem nomes importantes, como a ministra Dilma [Rousseff, Casa Civil], o ministro Tarso Genro [Justiça], o senador [Eduardo] Suplicy, o senador [Aloizio] Mercadante, a ministra Marta Suplicy [Turismo] e os governadores Jaques Wagner [Bahia] e Marcelo Déda [Sergipe]”.

 

 

 

 Titulo de Cidadania Riachõense

Através de projetos de autoria do vereador Alberto Franco Souza, (PTB) o governador Marcelo Déda Chagas e o vice-governador, Belivaldo Chagas, receberão os títulos de cidadania riachõense.  Os títulos foram aprovados na sessão da última sexta-feira e a data da entrega ainda será marcada.

 

Concentração dos policiais civis

Na próxima 4ª-feira, 05, das 07 h às 10 h, os policiais civis se concentraram em frente ao Palácio dos Despachos, num ato de esperança. E-mail do movimento: “A concentração dá-se-a de forma organizada e pacífica, não haverá obstruções a nenhuma espécie de serviço público. O que se pretende é chamar à atenção de nosso governador e de toda a sociedade para uma pauta mínima que pode resgatar a dignidade e a auto-estima do policial civil da base. Pretendemos ainda solicitar ao governador que solicite parecer da Procuradoria Geral do Estado acerca de todos os pontos da pauta para que fique esclarecida a viabilidade da demanda. Os pontos são: a) nível superior para o agente de polícia judiciária (mediante projeto de lei, alterando o requisito); b) correto enquadramento dos agentes auxiliares de polícia judiciária no cargo de agente de polícia judiciária (medida administrativa); c) nomeação de todos os escrivães concursados (medida administrativa e mediante projeto de lei, alterando a quantidade de cargos). Vale ainda ressaltar que esses pontos convergem com a atual política nacional de segurança pública do presidente Lula e redundará em maior qualidade e eficiência do serviço público de polícia judiciária”.

                                                                                                                                              

Veículos vão continuar transitando nas areias da praia I                                                                            

Carro entre banhistas ontem, 02.
  

A coluna publicou uma nota sobre o trânsito de veículos na areia das praias, principalmente na Aruana. Cobrou as providencias das autoridades, como Cptran e Detran. O major PM Linhares, comandante da Cptran, justificou através de e-mail que a competência da área e da Cprv e DER, mas foi arrogante ao escrever que “se espera é que haja um pouco mais de cuidado na publicação de matérias como esta, sobretudo quando há uma acusação escrita de omissão por parte de órgão ou autoridade”. Como escreve o colega Osmário, arrepare! O comandante não poderia informar a necessidade da fiscalização para o seu colega comandante da Cprv? Quer dizer que a polícia só toma providencias se for na área de sua competência? Se um pedestre for atropelado de quem é a responsabilidade? A coluna repete: omissão é crime.

 

Veículos vão continuar transitando nas areias da praia II

Nos governos anteriores era comum a fiscalização policial coibindo o uso de veículos nas areias da praia. Agora não tem ninguém responsável. Somente quando ocorrer uma morte as providências necessárias serão tomadas. Se a responsabilidade é da Cprv cabe ao comandante tomar as providências necessárias. Ontem, 02, o fotojornalista César de Oliveira, flagrou nas praias da Sarney carros  e motos circulando entre os banhistas. É correto?  E ao comandante Linhares, da Cptran: Que tal fiscalizar entre os táxis clandestinos que circulam em Aracaju, mas de perto no Santa Maria. Vai descobrir que dois policiais militares que deveriam dar exemplo estão entre os clandestinos. É mole?

 

 

 

Voto de Maria é favorável a ele na conta de Renan

Parte de uma matéria da agência Brasil: “Resignados com a iminente derrota no Conselho de Ética, senadores do alto comando de Renan Calheiros (PMDB-AL) realizaram uma contagem do “exército da absolvição”. De acordo com planilha eletrônica à qual o blog teve acesso, prevê-se que, protegidos pelo voto secreto do plenário, pelo menos 50 senadores votarão contra a cassação do mandato de Renan. A planilha da tropa de Renan inclui os nomes de onze supostos “quintas-colunas” da oposição –oito do DEM e três do PSDB. Os tucanos que a milícia parlamentar de Renan computa como “aliados” são os seguintes: 1) Flexa Ribeiro (PA); 2) Papaléo Paes (AP); e 3) João Tenório (AL).Na tribo dos ‘demos’, a tropa de choque de Renan acredita ter aliciado os seguintes votos: 1) Edison Lobão (MA); 2) Antônio Carlos Magalhães Júnior (BA); 3) Jonas Pinheiro (MT); 4) Efraim Morais (PB); 5) Jayme Campos (MT); 6) Maria do Carmo Alves (SE); 7) Adelmir Santana (DF); e 8) Heráclito Fortes (PI).

 

 

 

Seqüestradores estão soltos

A coluna recebeu um e-mail que mostra a necessidade urgente de se mudar a legislação penal no Brasil. Quem lembra do seqüestro do empresário Frank Vieira, do grupo Maratá, há alguns anos, onde o jovem sofreu tortura e chegou a ficar acorrentado como um animal por vários dias? Pois bem, você acredita, caro leitor, que quase todos os integrantes da quadrilha conseguiram hábeas corpus,(processo TJ/SE nº 199755010340. Estão soltos apelando em liberdade. De um leitor lagartense: “Quase todos  eles foram condenados pela comarca de Lagarto há mais de 25 anos de reclusão em regime fechado. Um deles inclusive vive tranqüilamente sua vida de funcionário público como motorista da Cohidro, e  possui ainda, pasmem, um posto de lavagem de grande porte no conjunto Orlando Dantas. Será que um salário de motorista daria para comprar? Pois bem o processo de apelação dos “Réus” esta lá (2004305243), desde o dia 06/07/2004.E acredite essa mesma quadrilha responde a outro processo na 2ª Vara Criminal da Comarca de Garanhuns(216.2004.000116-6). Eu que pensava que só quem cometia crime contra pessoa pobre era que não pagava, esta aí o exemplo para todo mundo ver”.

 

 

Pressão social por ética influenciou decisão do STF sobre mensalão

Em entrevista a FSP,o  ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Carlos Ayres Britto, 64, disse que a expectativa da sociedade por ética na política pesou na decisão de abertura da ação penal contra os 40 denunciados do mensalão, embora sustente que o julgamento foi técnico.”Nós decidimos tecnicamente, mas não podemos negar que a ambiência psicossocial favoreceu um compromisso ainda mais forte com as exigências éticas”, afirmou o ministro em entrevista à Folha, concedida em seu apartamento, na manhã de quinta-feira. Britto acusou a imprensa de comportamento abusivo nos dois episódios que expuseram a imagem do tribunal: a reprodução da conversa por e-mails entre os ministros Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia Antunes Rocha e a divulgação do diálogo de Lewandowski com o irmão, por telefone, em um restaurante de Brasília. Ele negou interferências políticas no julgamento, mas, ao comentar a nomeação do ministro Carlos Alberto Menezes Direito para o STF, confirmou a existência de “correntes” no tribunal. “É bom que haja pessoas representativas das diversas correntes políticas.” Ex-petista, o ministro acredita que o episódio do mensalão não “contaminou” o partido. Ele foi filiado por 18 anos e se desligou em 2003, quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva o indicou para o STF”.

 

Avaliação sobre a “Má-ternidade” de João I

 Com todo o respeito que devemos uns para com os outros, conforme assevera a Doutrina Cristã, fica muito difícil de tolerar para compreender ou de compreender para tolerar a postura que os políticos – salvo exceções credoras de registro – assumem ante o público. A semana passada foi de impressionar a conduta assumida pelo ex-governador João Alves Filho com respeito à  “Má – Ternidade”. Não existe outro adjetivo que resuma os gestos e discursos do senhor JAF a não ser de sua Excelência Cara de pau. É preciso que esse senhor entenda que do outro lado do vídeo, existem pessoas esclarecidas, formadoras de opinião e com o senso crítico muito amadurecido. É de lamentar que essa classe de políticos ainda resista ante a força das mudanças que lentamente, muito lentamente, vem sendo gerada no ventre da consciência brasileira. Que o povo sergipano enxergue que este senhor, que de forma polida e pousando de bom samaritano, se aproveita sutilmente da morte de 11 crianças, conforme o noticiário, para fazer disso auto-propaganda eleitoreira.”

 

Avaliação sobre a “Má-ternidade” de João II

Continua o leitor:Não achamos que esse fato lamentável deva permanecer sem que a opinião pública tenha notícia. Deve-se divulgar mesmo a fim de que o novo governo assuma a bandeira das mudanças e faça jus ao seu slogan de campanha. Do contrário, será mais uma réplica do ex-governo, alicerçado que foi na mentira, no engodo e na politicalha que não mais tem lugar em um mundo tão conflitante, onde as pessoas carecem de paz. Chego à conclusão senhor jornalista, que a transitoriedade da vida foi a melhor invenção Divina. Imagine termos que aturar infinitamente a presença de políticos dessa estirpe”.

 

Surpresa com os investimentos na área da segurança

Esta semana fomos surpreendidos pela atitude do governador, Marcelo  Déda, de realizar um grande investimento na segurança pública. Acho  que foi um esforço bastante elogiável, embora não concorde com o  ufanismo do secretário de segurança, Sr. Kércio Pinto. Pois somente  material não resolve. Acho que a Secretaria de Segurança necessita de  mais profissionalismo, pois carece de mecanismos de avaliação e  acompanhamento das suas ações. No caso dos investimentos ora  realizados, é necessário ficar de olho nas estatísticas para ver a  qualidade das ações que estão sendo implementadas: verificar se elas  realmente estão produzindo eficácia. Eu já fiquei meio incrédulo  quando cruzei no último sábado, 01/09, por volta das 13:00 h, com a  viatura do município de São Domingos. Fiquei imaginando o que pode  estar fazendo na capital uma viatura policial que deveria estar  produzindo segurança em um município do interior. E mais, uma viatura  com uma só pessoa em seu interior dá a impressão de estar passeando.  Sinceramente, eu não acredito que policial algum possa realizar  diligências sozinho. Sempre tenho a impressão de que ele está  realizando tarefa extra-policial. É necessário ficar atento”.

 

 

Valorização da cultura é bom

 De um leitor: “Tenho notado com satisfação, que o prezado jornalista vem valorizando poetas e escritores sergipanos, usando versos ou frases ao fim da coluna, na já tradicional e esperada frases do dia.E curioso que notei isso que foi depois da morte do nosso grande repórter Joel Silveira. Ou me enganei? Se foi, espero que mesmo que não tenhas notado, as vezes o desaparecimento de uma grande personagem da vida cultura faz com que nos voltemos a nos preocupar, com vultos da nossa cultura, especialmente daqueles que nasceram na nossa terra, no caso,esse querido e também sofrido Sergipe, que, em outras coisas, tem sido exportador não somente de algumas riquezas materiais, mas também de intelectuais para que sejam valorizados e brilhem por aí por aí.Sim, temos muitos sergipanos talentosos e magníficos nas suas criações artísticas literárias. Em meio a esse confuso quadro político, que você se sai muito bem comentando com lisura e coragem, é muito bom que reserve, vez por outra, uma lembrança para os nosso valores intelectuais, incluindo todos, é claro, estrangeiros, brasileiros, mas também, porque não? Os sergipanos…” (JAS).

 

Adesivos Leitor Vip

Chegaram mais adesivos para carros “Leitor Vip”. O adesivo é pequeno, tem letras brancas, o fundo transparente e é para ser colocado na parte externa do vidro do veículo. Obrigado aos leitores que já solicitaram os adesivos pela confiança na coluna. O leitor que desejar receber em casa é só enviar o endereço para o e-mail: claudionunes@infonet.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Frase do dia

 “Algo de belo acontece quando se retira a graxa dos olhos e se vê apenas”. Iara Vieira,poeta sergipana, poema “Beleza Natural”, do livro “A Íntima Humanidade”.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais