Familiares de Jairo prestaram queixa na 8° Delegacia

0

Familiares de Jairo estiveram na 8° Delegacia
Familiares de Jairo Ferreira de Lima, 36 anos, que faleceu na porta do Hospital de Urgência e Emergência João Alves Filho (Huse) foram na manhã dessa sexta-feira, 19, na 8° Delegacia Metropolitana prestar queixa contra o Hospital.

“Não sabemos o que vai acontecer, mas o que queremos é justiça, porque não é fácil você ver um familiar morrer na frente de um hospital sem ter ninguém para atender”, desabafou a cunhada da vítima, Maria Geane Santos.

Geane ainda reforçou que espera que o Estado se posicione e possa punir todos que se negaram ou negligenciaram o atendimento. “Todos precisam ser punidos, do vigilante ao médico, porque não dá para simplesmente errar quando se trata da vida de outra pessoa”, ressaltou.

Adelvânio e João Augusto prestaram auxílio a família no dia da morte
Segundo Geane, a esposa de Jairo, Maria Cristiane e o irmão dela, Mario César foram os primeiros a serem ouvido. “ Eles estão contado tudo que aconteceu com a nossa família naquele dia e todo mundo que tava no dia também será ouvido”, explicou.

O vizinho João Augusto e o motorista do carro que prestou socorro a vítima no dia da ocorrência, Aldevânio dos Santos, também estiveram na delegacia para prestarem depoimentos. “Eu tenho prova, através do tacógrafo instalado no meu carro que ele ficou por uma hora parado na porta do hospital”, relatou Adelvânio.

De acordo com informações da Delegacia, os familiares estão sendo ouvidos pelo escrivão titular, Marcos Douglas, porque o delegado Paulo Márcio, responsável pelo caso, está em uma reunião fora da delegacia.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais