Gualberto diz não ter medo de ser acionado na Justiça

0

O deputado estadual Francisco Gualberto (PT), ao tomar conhecimento de que corre o risco de ser acionado judicialmente por empresários do comércio de Aracaju – devido um pronunciamento que fez na Assembléia Legislativa onde afirmou que existem “empresários manhosos” – afirmou não temer a iniciativa. “Se este é o tom, só me resta aguardar. Agora, para cada ação há uma reação, como diz a lei da Física”, afirmou.

 

A confusão entre o Gualberto e os empresários começou por conta de um pronunciamento feito pelo deputado estadual Walker Carvalho (PFL), presidente da Federação do Comércio, que reclamou da paralisação das obras de reforma dos calçadões do centro comercial de Aracaju. O deputado petista, por sua vez, defendeu a Prefeitura de Aracaju e afirmou que não respeitava os empresários que não respeitavam a “peãozada”.

 

“Mas nunca generalizei. Só falei de uma prática que é real. De certos empresários que obrigam os trabalhadores a assinarem documentos afirmando receber, por exemplo, o 13º Salário, sem que estes vejam a cor do dinheiro. Estes trabalhadores também têm o direito de recorrer à Justiça. O problema é que aqueles que fazem isto encontram dificuldade para retornar ao mercado de trabalho”, justificou. “Agora, se é para ser processado por causa disso, queremos ser processados. Será um caso bastante oportuno para que se traga à tona a realidade vivida por certos empresários e trabalhadores”, disse Gualberto.

 

O deputado petista também criticou o colega pefelista. “Os empresários estão mau assessorados”, alfinetou. Walker Carvalho, por sua vez, informou que nove sindicatos ligados a Federação solicitaram à AL cópias da fita com o pronunciamento de Gualberto para serem analisadas pelas suas assessorias jurídicas, para que se tomem as medidas cabíveis no caso de constatação de ofensa pessoal.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais