PMs estão expostos a condições insalubres em prédio da Companhia de Neópolis

0

Associação diz que prédio oferece risco aos militares e à sociedade
Paredes rachadas e com muito mofo, fiação exposta, banheiros sem condição de uso, portas e janelas quebradas, além de alojamentos sem condições e um prédio que não oferece a mínima segurança para quem vai buscar atendimento. Essas são as condições do prédio do Batalhão de Polícia de Neópolis, município distante 123 km da capital. A denúncia foi feita pela Associação Beneficente de Servidores Militares de Sergipe (Absmse).

De acordo com o gestor da Absmse, sargento Edgar Menezes, há mais de um ano foi entregue um relatório ao comando da PM expondo as condições, mas segundo o gestor nada foi feito e o problema tem se agravado.

Fiação exposta pode provocar curto circuito
“O interessante é que nesse prédio funcionava a delegacia da cidade e ela parou de funcionar porque os delegados alegavam que o lugar era insalubre. Para resolver o problema tiraram a delegacia e instalaram a 2ª companhia. É lamentável o descaso para com os prédios que sediam batalhões, companhias e destacamentos da Polícia Militar do Estado de Sergipe”, observa Edgar.

No mês passado o Portal Infonet também mostrou as condições precárias da companhia de Carmopólis. Neste caso o Ministério Público estabeleceu prazos para que a companhia fosse transferida.

De acordo com o advogado Márlio Damasceno o caso de Neópolis também será encaminhado à Justiça. “Vamos agir da mesma forma, iremos procurar o judiciário solicitando que

Alojamento dos militares (Fotos: Absmse)
seja marcada uma audiência para estabelecer prazos de quando o problema será resolvido. Se não obtivermos êxito com relação à reforma, vamos entrar com ação civil pública para que a companhia seja reformada”, garante o advogado.

Riscos de acidentes

O sargento Edgar lembra que prédios em condições precárias colocam em risco a vida de policiais e da sociedade. “As companhias recebem a sociedade sergipana. Naquela condição que o prédio se encontra, com as paredes rachadas e aquela fiação completamente exposta, coloca em risco a vida dos militares e da sociedade”, ressalta Edgar, que critica duramente o comando da polícia.

Sargento Edgar Menezes (Foto: Arquivo Portal Infonet)
“Nem tudo passa por dinheiro, trata-se da dignidade humana. Nós lidamos com o maior bem do ser humano que é a liberdade e a vida. A população paga impostos e tem que ter respeito. A polícia Militar merece dignidade”, destaca Edgar Menezes.

Comando

O comandante do policiamento militar do Interior, coronel Braz, admitiu que alguns prédios de companhias do Interior têm problemas na estrutura, mas disse que muito tem sido feito para que os militares trabalhem em boas condições. De acordo com ele os Centros Integrados da Secretaria da Segurança Pública (SSP), que abrigam civis e militares, oferece excelentes condições de serviços.

“Porto da Folha, Poço Redondo, Monte Alegre, Salgado, Nossa Senhora da Glória e Lagarto já contam com centros integrados, que são prédios novos e completamente reformados”, salienta o coronel, completando que no caso da Companhia de Carmópolis os militares serão transferidos para outro prédio e será realizada uma reforma.

“Estamos nos esforçando para reformar outros prédios que precisam, mas esse ano tivemos um orçamento muito apertado com poucos recursos”, diz Braz.

Por Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais