Mão Amiga: homem recebia benefício sem programa ter iniciado

0

Secretária avisou que primeira parcela do benefício será paga dia 9 deste mês
Diante das denúncias feitas com relação ao Programa Mão Amiga, a secretária de Inclusão Social Conceição Vieira cedeu uma entrevista coletiva à imprensa no final da manhã desta sexta-feira, 4, para esclarecer o episódio e negar acusações de que estaria beneficiando pessoas próximas com programas do Governo Federal.

Segundo a secretária, nenhum beneficiário do ‘Programa Mão Amiga’ recebeu o cartão que libera o pagamento, cuja primeira parcela deve ser liberada na próxima quarta-feira, 9.

Ela afirmou que o benefício do agricultor José Aparecido da Conceição, do Município de Pedrinhas, citado como a pessoa que estaria recebendo o dinheiro irregularmente, será suspenso até que se comprove que ele se enquadra no perfil desejado.

“Nós só queremos que os políticos de oposição tenham paciência e nos deixem trabalhar. Nossa preocupação é ter transparência e levar a todos os municípios os programas de inclusão e cidadania que temos. Todas essas ações vão contribuir para melhorar a vida do sergipano”, frisou. Conceição informou, ainda, que enviou ao Ministério Público Estadual documentos referentes ao ‘Mão Amiga’ e ao ‘Programa de Segurança Alimentar’, para que haja confirmação da inexistência de irregularidades.

Conceição disse que enviou documentos de programas ao MP

Cinco mil benefícios

A secretária ressaltou que da quota de cinco mil pessoas que podem ser beneficiados pelo ‘Mão Amiga’ – que visa destinar R$ 190 mensais a trabalhadores rurais no período de entressafra de laranja e cana-de-açúcar, entre os meses de novembro e fevereiro –, apenas 3.246 estão aptas.

“Recebemos mais de seis mil nomes dos 14 municípios participantes do projeto. Se existisse alguma irregularidade, provavelmente essa quota estaria estourada. Nem cadastrando todos os que têm direito atingiremos o limite”, explicou.

Cadastro

Para garantir a idoneidade do cadastro, Conceição Vieira contou que, dentro dos trâmites previstos pelo programa, após a inserção do nome do trabalhador em um cadastro único, está a homologação da inscrição pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de cada município e pela Emdagro. Ambos podem confirmar se a pessoa está dentro dos requisitos necessários.

Ainda assim, a secretária aconselha que quaisquer irregularidades detectadas sejam denunciadas ao órgão, para que a denúncia seja encaminhada ao Ministério Público. Ela acrescentou que uma equipe da Secretaria Estadual de Inclusão, Assistência e Desenvolvimento Social (Seides) irá a Pedrinhas verificar as denúncias.

Comentários