Movimentos sociais veem falta de transparência no aumento da tarifa

0
Manifestação aconteceu na tarde desta quinta-feira, 20, na Praça Camerino, centro de Aracaju (Foto: Portal Infonet)

A iminência de um novo aumento da tarifa do transporte público da capital tem gerado mobilizações de alguns movimentos sociais. Em mais um ato de protesto na tarde desta quinta-feira, 20, na Praça Camerino, estudantes criticaram o possível aumento da passagem, alegando falta de transparência em relação aos valores futuros e a má condição do transporte público de Aracaju.

Luiz Felipe, Presidente do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Sergipe (DCE-UFS) (Foto: portal Infonet)

Segundo o presidente do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Sergipe (DCE-UFS), Luiz Felipe, o aumento da passagem impactará no orçamento financeiro do universitário, que terá um gasto mensal ainda maior. “Os ônibus são o principal meio de transporte dos universitários. A partir do momento em que o prefeito aumenta a passagem, ele impede o estudante de ter acesso à universidade”, acredita. “Muitos estudantes são de origem carente. Então vai chegar o momento em que o estudante vai ter que decidir entre pagar o aluguel, a cesta básica ou a passagem”, completa Felipe.

A estudante Bruna Santos, que representa o Coletivo Quilombo, afirma que o roteiro é sempre o mesmo: aumento da passagem, mas nada de importante revertido para os usurários do transporte coletivo (Foto: Portal Infonet)

A estudante Bruna Santos, que representa o Coletivo Quilombo, afirma que o roteiro é sempre o mesmo: aumento da passagem, mas nada de novo revertido para os usurários do transporte coletivo.“A gente está há anos consecutivos vendo o aumento da tarifa do transporte público e nenhum ganho para a população”, afirma. Ainda segundo Bruna, outro ponto a ser considerado são os motivos para o aumento da tarifa. “Estamos cobrando a planilha de custos porque é um dever dos órgãos públicos dialogar com a sociedade sobre este novo aumento”, destaca.

Os manifestantes também entendem que o momento não é o mais pertinente para promover um aumento de preço. Segundo eles, a população deve desconfiar de um aumento que está sendo planejado às vésperas de uma festa tão popular como o carnaval. “Eles aproveitam essa época de carnaval e feriado onde a população está desmobilizada e pouco preocupada com os grandes debates políticos da cidade. Além do mais, é um aumento autoritário. Antigamente, o aumento passava pela Câmara de Vereadores, agora é somente com uma canetada do prefeito”, salienta Felipe.

O Portal Infonet entrou em contato com a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), que orientou a realização de contato com a Superintendência de Transporte e Trânsito (SMTT). A SMTT, por sua vez, informou que está analisando as planilhas apresentadas e irá se manifestar quando finalizar a avaliação.

por João Paulo Schneider  e Verlane Estácio

Comentários