Greve: Pais de alunos estão preocupados com o calendário

0

Pais estão preocupados com futuro dos filhos (Fotos: Arquivo Portal Infonet)

Preocupados com o rumo da greve dos professores da rede estadual de ensino, pais de alunos estão temerosos quanto aos possíveis prejuízos causados ao calendário escolar. Em assembleia realizada no último dia 2, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Sergipe (Sintese) decidiu manter a greve, deflagrada no dia 16 de abril.

A autônoma Sheyla Matos, que tem dois filhos matriculados em escola estadual, lamenta a situação. “Sei que os professores precisam lutar pelo direito deles, mas enquanto isso os alunos estão em casa desperdiçando tempo. O pior é quando as aulas voltarem a ser normalizadas, os conteúdos serão dados às pressas, pois é preciso cumprir o calendário rigorosamente”, comenta.

A vendedora Amanda Ribeiro, também se preocupa com o futuro da filha, que irá prestar vestibular este ano. “Estamos sem saber o que fazer, pois o tempo está passando e minha filha, assim como os outros da turma dela, não estão aprendendo nada. É capaz de chegar a época das provas do vestibular e eles não terem aprendido todo o conteúdo necessário”, lamenta.

Sintese

Sintese garante que alunos não serão prejudicados

O diretor de comunicação do Sintese, Joel Almeida, explica que a categoria se compromete em repor as aulas de forma a não prejudicar o aprendizado dos alunos. “A direção de cada escola irá refazer o calendário e cumpri-lo sem precisar utilizar de sábados letivos e sexto horário. Tudo vai depender deste planejamento que será feito com bastante atenção”, ressalta.

Com relação aos prejuízos para os alunos que prestarão vestibular, Joel Almeida destaca que não haverá problema algum. “Por conta da instituição da política de cotas, os alunos da rede pública concorrem somente com outros da mesma rede. Então todos estão em pé de igualdade, pois estudaram em um sistema semelhante. O que pode acontecer, é que problemas anteriores sejam acentuados com a chegada da greve. É o caso de matérias que não foram lecionadas por falta de professor, provavelmente com a greve, o conteúdo sofrerá algum atraso”, explica.

Por Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais