Bairro Aeroporto recebe mutirão de combate ao Aedes aegypti

0
Dessa vez, a ação aconteceu no bairro Aeroporto (Foto: SMS)

Neste sábado, 27, a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), realizou mais um mutirão de combate ao Aedes aegypti. Dessa vez, a ação aconteceu no bairro Aeroporto, tendo como ponto de partida o Colégio Estadual Santos Dumont.

Do início do ano até o momento, foi notificado apenas um caso de chikungunya nessa região, entretanto, conforme o Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), divulgado no último mês de janeiro, o bairro Aeroporto apresenta o índice de 1,7%, considerado médio risco para aparecimento de surtos ou epidemias.
“Essa é nossa última ação antes do segundo LIRAa do ano, que deve iniciar nos próximos dias. Mas nossas ações em todas as visitas e mutirões sempre se baseiam na eliminação do criadouro, além da orientação e educação e saúde, através dos nossos agentes de endemias, juntamente com a parceria da Emsurb e do Cata-Treco, auxiliando no trabalho junto aos terrenos baldios”, declarou a supervisora Edjeane Scarlet.
A parceria com a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) e a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sema) também realiza os serviços de eliminação do mosquito, por meio da varrição, capinação, roçagem mecanizada e coleta de resíduos descartados incorretamente em terrenos baldios e vias públicas da localidade.
O morador Eliel Godói da Silva, que há 12 anos reside no bairro Aeroporto, elogiou a ação e alertou que, mesmo todos preocupados com a covid-19, também não se pode esquecer do mosquito Aedes aegypti.
“Tem que lembrar da dengue também, porque se ficar o foco só em uma, acaba que pode adoecer por outra doença. Aqui a gente não deixa água parada, temos água regular e não precisa ter reservatório, e sempre ficamos em alerta, para que ninguém adoeça. Minha mãe já teve a chinkungunya então, a gente já sabe o que mosquito pode causar”, disse Eliel.
Os mesmos cuidados foram vistos na casa do senhor José Eraldo Ribeiro. “Sempre estou superviosionando onde pode ter água parada, para não deixar o mosquito chegar. Cuido das plantas para não acumular água nelas também, e acho muito importante essa visita dos agentes, sempre os recebo em casa, não tem como não deixar de atender, é muito importante para todos nós”, reconheceu.

 

Fonte: PMA 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais