Cerca de 300 pacientes aguardam por cirurgias cardiovasculares

0
Wagner Andrade, Francisco Lima Jr. e Darcy Tavares em fiscalização do MPE no Huse (Foto: Portal Infonet)

O Ministério Público Estadual (MPE) visitou o Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), na manhã desta terça-feira, 31, para verificar a situação dos pacientes que aguardam ser encaminhados para fazer cirurgias do coração no Hospital de Cirurgia.

São três pessoas esperando pela transferência: dois em um quadro mais delicado e uma paciente mais estável, que poderá entrar na fila de eletivas, mas está hospitalizada por conta de uma infecção. O Hospital Cirurgia suspendeu as cirurgias cardiotorácicas no dia 19 de junho.

O promotor de saúde do MPE, Francisco Lima Jr. aproveitou também para visitar outros setores, como as alas azul, verde e vermelha, além do setor de nefrologia. “Minha intenção era verificar o impacto do fechamento lá no atendimento aqui no Huse. Visitei todos os pacientes cardiovasculares, e vi que não haveria sobrecarga nesse sentido. São pacientes que merecem assistência e aí parte do Estado que é titular do serviço e contratante do Hospital de Cirurgia tratar de uma estratégia para tratar a demanda reprimida sem prejuízos dos casos que chegam diariamente”.

Lima Jr. revelou que a fila de cirurgias cardiovasculares possui cerca de 300 pessoas em espera, e que o Hospital de Cirurgia tem capacidade de realizar 40 procedimentos deste tipo a cada mês.

Darcy Tavares, superintendente do Huse, falou sobre os prejuízos da paralisação do serviço no HC. “A unidade cardiológica do Cirurgia lógico que impacta aqui. São o hospital de referência. O que eu soube hoje é que a partir de amanhã provavelmente a UTI estará liberada. Se  assim for, teremos o problema resolvido. Temos três pacientes internados aqui, aguardando o procedimento cirúrgico”.

Ainda sem procedimentos

Na semana passada, na oportunidade em que os vereadores da CPI da saúde visitaram o Hospital de Cirurgia, foi anunciado pela entidade filantrópica que as cirurgias cardiotorácicas seriam retomadas na última segunda-feira, 30. No entanto, os serviços ainda não foram disponibilizados, e a versão oficial, encaminhada pela assessoria de Comunicação, é de que a direção tenta se reorganizar com as equipes médicas para retomar os procedimentos.

Por Victor Siqueira

Comentários