Ano de conflitos

0

Este será um ano de conflitos entre servidores, governo estadual e prefeituras. Cansados de esperar por melhorias salariais, os primeiros devem deflagrar greves a torto e a direito. Sem folga de caixa para atender as reivindicações, os chefes dos executivos vão recorrer à Justiça visando tornar as paralisações ilegais. No meio do fogo cruzado, o contribuinte também será penalizado com pendências para resolver no Estado e prefeituras, pois as greves inviabilizam o funcionamento das repartições públicas. A campanha eleitoral que se avizinha funcionará como combustível dos conflitos, pois a oposição estimulará os servidores a cruzarem os braços visando desgastar politicamente os governistas. Pior é que as conseqüências desse anunciado confronto são imprevisíveis.

Greve anunciada

Reunidos ontem em frente ao Palácio do Governo, servidores administrativos do Estado decidiram cruzar os braços a partir de terça-feira próxima. Eles cobram do Executivo o prometido plano de cargos e salários. A greve deve atingir em cheio as escolas estaduais, pois a maioria dos insatisfeitos é composta por merendeiras e pessoal de limpeza. Paralisações também são previstas no Sergipe Previdência, Ipesaúde e nos Centros de Atendimento ao Cidadão (Ceac’s).

Bom senso

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) tem total independência para investigar juízes. Foi o que definiu ontem, por 6 votos a 5, o Supremo Tribunal Federal (STF). Os ministros entenderam que a Corregedoria do CNJ pode iniciar uma investigação contra magistrados – ou reclamar processo administrativo já em andamento nas cortes locais – sem precisar fundamentar essa opção. Prevaleceu o bom senso!

Banco dos réus

O comando da Polícia Militar quer colocar no banco dos réus cerca de 1,3 mil PM’s. Semana que vem a Corregedoria da corporação começa a instaurar inquéritos contra todos os policiais que se recusaram a vender as folgas para trabalhar no Pré-Caju. Outros 400 terão investigada a validade dos atestados médicos que conseguiram durante a prévia carnavalesca. Taí uma briga que promete fazer ainda mais estragos na já maltratada hierarquia militar.

Vendedor de ilusões

Do prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B), ao ser questionado sobre a afirmação do ex-governador João Alves Filho (DEM) de que Aracaju parou desde a gestão municipal de Marcelo Déda: “O maior omisso com relação aos problemas de Aracaju é João Alves, que foi prefeito e governador três vezes”. E Nogueira prosseguiu: “João Alves é um vendedor de ilusões, um improvisador. Consertamos muito e continuamos consertando os problemas que ele deixou para os aracajuanos”. Homem, vôte!

No interior

O governador Marcelo Déda (PT) vai passar parte desta sexta-feira no interior do Estado. Pela manhã ele inaugura a rodovia Manoel Aguiar Menezes, trecho BR-101, no povoado Castanhal, em Capela. Orçada em R$ 7.202 milhões, a estrada vai melhorar o escoamento da produção da Usina Taquari e facilitar o deslocamento da população. Déda aproveita para manter contatos com políticos da região do Cotinguiba.

Ataque às urnas

Estão abertas até o próximo dia 17 as inscrições para participar da 2ª Edição dos Testes Públicos de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação. Promovido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o evento objetiva dar transparência ao processo eleitoral e demonstrar sua confiabilidade e segurança dos equipamentos. Durante três dias (20 a 22 de março) os participantes poderão realizar “ataques” à urna eletrônica e seus componentes internos e externos.

Casório definido

O PSDB e o DEM fecharam ontem acordo para a disputa das eleições municipais deste ano em Aracaju, Salvador, Natal e Fortaleza. Os dois partidos vai continuar dialogando para estender esse acordo ao maior número possível de cidades brasileiras. Na segunda-feira, os principais pré-candidatos a prefeito e vereador do Democratas participarão em São Paulo de um seminário sobre uso das redes sociais e as questões jurídicas referentes à campanha. O ex-governador João Alves Filho (DEM) já confirmou presença.

Tapa na macaca

Não convidem o governador Marcelo Déda (PT) e a Polícia Militar para algumas noites do Projeto Verão, que a Prefeitura de Aracaju vai promover de 9 a 12 deste mês na praia de Atalaia. É que programação dos dias 10 e 11 prevê shows de Seu Jorge, Charlie Brown Jr, Alapada, Manu Chao, O Rappa e Reação. Alguém duvida que os fã clubes dessas bandas são tão ‘caretas’ quanto os admiradores da diva do rock Rita Lee?

Do baú político

Em seu primeiro mandato de governador (1995/1998), Albano Franco era criticado diariamente pelo radialista Gilmar Carvalho, que, entre outras coisas, costumava chamá-lo de Albano Fraco. Os ataques deixavam secretários estaduais e aliados do governador extremamente revoltados, porém o governador preferia o silêncio como respostas às ácidas críticas do comunicador. Um dia, ao chegar no velório de um policial militar, Albano viu o repórter Jailton Santana, que fazia uma intervenção ao vivo. Aproximou-se e perguntou se podia dar uma palavrinha com Gilmar. Quando Jailton lhe dirigiu o microfone, todos esperavam um desabafo de Albano, porém ele preferiu a fidalguia: “Gilmar, como vai a saúde? Quero lhe dizer que ouço todos os dias seu programa e adoro a forma como você conduz os debates, sempre com inteligência e moderação. Continue assim. Parabéns!”. De “pernas quebradas” com a elegância de seu principal criticado, o radialista não teve outra saída senão elogiar o comportamento democrático do governador.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários