Como reconhecer dinheiro falso

0

O caso é muito sério. Eu mesmo, já passei um baita constrangimento em um mercadinho. Dei uma nota de R$ 50,00 e a moça do caixa  a colocou, automaticamente, um pouco acima da altura dos olhos, para, evidentemente, verificar a sua autenticidade.Franziu a testa e a levantou mais um pouco. Tornou a franzir a testa e olhou para mim.Dei aquele sorriso de boca fechada.

 

A moça  girou a cadeira, procurando um ângulo mais luminoso, e tornou a examinar a nota.Olhou novamente para mim, agora com uma cara de  desconfiança. Dei-lhe outro sorriso, mostrando um pouco os dentes – o chamado sorriso amarelo. Ela  levantou-se e falou alguma coisa para o empacotador. Ele saiu e logo voltou com um cidadão de gravata , ostentando um vistoso crachá – Supervisor Operacional.

 

O cidadão  pegou a  nota e olhou para mim. Àquela altura já havia uma certa inquietação  na fila.Ouvi sussurros  e uma voz abafada falou, atrás de mim; “ deve ser falsa”. Outra voz: “ e parecia até uma pessoa distinta”. Mais outra voz: “ as aparências enganam.Hoje em dia a gente não pode se deixar enganar por um sujeito bem vestido e simpático”.

 

Um vigilante do mercadinho, com dois metros de altura por um de largura, assim como por acaso, postou-se em frente ao caixa onde eu estava. Os sussurros aumentaram. O Supervisor examinou a nota, cuidadosamente. Olhou para mim. Olhou para  a nota, mais cuidadosamente ainda. Olhou para mim. Olhou para a nota, com extremo cuidado. Balançou a cabeça e olhou para mim.

 

—- Desculpe, senhor. É que a gente tem que ter muito cuidado.As falsificações estão, cada vez mais, difíceis de serem detectadas.

 

E virando-se para a moça do caixa.

 

—- Tudo bem. Pode  passar o troco do senhor.

 

atrás de mim, o coro de vozes decepcionadas.

 

—-Aaaaaahhhhhh…..

 

Outro dia, na feira do Grageru, um feirante estava se lamentando por ter recebido uma cédula falsa de R$ 50,00( é a preferida dos falsários), e só soube quando foi pagar a conta de luz em uma casa lotérica. Mesmo ficando com o prejuízo, ainda deu sorte em não ter ido preso, porque para a lei não importa se a pessoa portadora da nota é inocente. A pena pode ser de até dois anos de cadeia.

 

Realmente, o Banco Central vem alertando para o aumento das  falsificações de notas de R$ 10,00, R$ 50,00 e R$ 100,00. E o fato é muito preocupante, porque os falsários estão usando equipamentos de última geração e fazendo notas até melhores do que as verdadeiras.

 

O feirante queria saber como fazer para reconhecer as notas falsas.

 

—- Simples – falei -, basta seguir as orientações do Banco Central, ou seja: conferir a marca d´água, a imagem latente, o registro coincidente e a textura áspera do papel.

 

O angustiado feirante fez uma cara de quem diz “ não entendi bulhufas”. Expliquei, então, detalhadamente o processo, sempre seguindo as orientações práticas do Banco Central.

 

MARCA D´ÁGUA – segure a nota contra a luz, do lado que contém a numeração – quanto mais forte  a luz, melhor. Procure na área clara,  à esquerda, a Bandeira Nacional ou animais da fauna brasileira.

 

—- Qualquer animal ? – perguntou o feirante.

 

—- Não. Só os da fauna brasileira.

 

—- Fauna brasileira ?

 

—- Sim. Os das matas do Brasil.

 

—- Ah, bom. Mas a gente então tem que saber todos os bichos do Brasil?

 

—- Claro.

 

Ele tirou o chapéu, coçou a cabeça e perguntou se poderia receber a nota se tudo estivesse certo.

 

—- Claro que não – falei, academicamente -, ainda tem que verificar itens importantíssimos.

 

IMAGEM LATENTE – observe a imagem latente no lado da nota com a numeração, a partir do canto inferior esquerdo.

 

Ele tornou a coçar a cabeça.

 

—- Mas o que é esse negócio de latente?

 

—- Latente é o que está escondido, disfarçado.

 

—- E por que está disfarçado?

 

—- Para atrapalhar a falsificação.

 

—- Como?

 

—- Simples: o falsário faz a nota e não vê o latente. Aí a gente, verificando cuidadosamente, sabe se ela é ou não falsa.

 

—- Mas se o falsário não vê o tal latente, como é que a gente vai ver ?

 

—- Seguindo as orientações do Banco Central.

 

—- Mas se o Banco Central divulga que tem o latente, o falsário poderia tentar fazer o troço.

 

—-Certo Muitos tentam, mas é difícil. Só os grandes falsários conseguem. Mas vamos continuar. Sente-se confortavelmente e segure a nota na altura dos olhos.

 

Ele colocou o chapéu e coçou um ouvido.

 

—- E se a gente não tiver onde sentar?

 

—- Bom, nesse caso, fique firmemente de pé, deixando as pernas com uma abertura um pouco maior do que a largura dos ombros e verifique se as letras B e C estão visíveis.

 

—- Se estiverem,  posso receber a nota ?

 

Suspirei.

 

—- É claro que não. Esqueceu os outros pontos que têm que ser examinados?

 

REGISTRO COINCIDENTE –  observe  a  estrela do símbolo das Armas Nacionais nos dois lados.

 

—- Sentado?

 

—- Não. Fique de pé e levante a nota acima da cabeça, com as duas mãos, e contra a luz forte.

 

Ele coçou o outro ouvido.

 

—- E se não tiver luz forte?

 

—- Acenda uma lanterna potente.

 

—- Mas como vou pegar a lanterna se estou com as duas mãos segurando a nota?

 

—- Bem, peça ao seu ajudante.

 

—- Não tenho ajudante.

 

—- Então peça ao freguês.

 

—- Mas se o freguês for o falsário, não vai segurar a lanterna direito.

 

Eu já estava impaciente, por ele complicar tanto uma coisa tão simples.

 

—- Bom , peça então ao colega do lado, ao fiscal da feira, sei lá.

 

—- Está bem, continue, por favor.

 

—- Olhando a nota contra  a luz, o desenho impresso de um lado deve se ajustar exatamente no mesmo desenho do outro lado.

 

—- Só isso?

 

—- Só.

 

Ele futucou o nariz.

 

—- Depois de tudo isso posso receber a nota?

 

Tornei a suspirar.

 

—- É claro que não. Esqueceu a textura?

 

—- Que diabo é isso?

 

Esfreguei o dedo indicador no polegar.

 

—- Entendeu?

 

—- Não.

 

—- Olhe, tem que verificar se a nota é lisa ou áspera, arranhenta. A nota falsa é mais lisa do que a verdadeira.

 

—- Agora terminou?

 

—- Sim.

 

—- Então se tudo isso que você falou estiver certo eu posso receber a nota?

 

—- Pode.

 

—- Mas se eu receber várias notas de uma vez só, tenho que fazer tudo isso com todas?

 

—- Tem.

 

Ele tornou a tirar o chapéu e coçou a cabeça. Colocou o chapéu e futucou os dois ouvidos.

 

—- Escute, não é mais fácil a polícia prender os falsários?

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários