Fábricas de monstros

0

Trancafiar um adolescente numa solitária por 40 dias não é ressocializá-lo. O jovem mostrado ontem pela TV Globo enclausurado num quartinho sem higiene do Centro de Atendimento ao Menor de Aracaju sairá dali pior do que entrou. Revoltado com o tratamento desumano, ele voltará a delinquir de forma mais violenta, até alcançar a maior idade e ser mandado para uma penitenciária, verdadeira faculdade do crime. Não é justo que a sociedade pague impostos para o governo manter fábricas de monstros. Já está provado que, ao retornarem às ruas, os “hospedes” destes infectos depósitos humanos vão extravasar a raiva dilapidando o patrimônio alheio e ceifando a vida de inocentes, pois onde foram encarcerados não lhes ensinaram a viver socialmente.

Sangue derramado

Sergipe teve um final de semana violentíssimo. De sábado para domingo foram registrados 11 assassinatos, a maioria por arma de fogo. O trânsito também fez suas vítimas. Somente os acidentes envolvendo motos ceifaram as vidas de seis pessoas. Uma lástima!

Com empresários

Os empresários de Aracaju terão três oportunidades para ouvir os candidatos a prefeito Valadares Filho (PSB), João Alves Filho (DEM) e Almeida Lima (PPS). O primeiro encontro será na próxima quinta, quando João Alves participará de um almoço organizado pela CDL. Valadares Filho e Almeida almoçarão na CDL nos dias 9 e 23 de agosto. Nos dias 10, 17 e 31 de agosto os candidatos participarão de almoço organizado pela Associação Comercial e depois falarão no Fórum Empresarial de Sergipe.

Mudança

Os postos fiscais da Secretaria Estadual da Fazenda não recolhem mais tributo em suas dependências. O recolhimento está sendo feito, exclusivamente, nas agências e correspondentes bancários do Banese e do Banco do Brasil. A mudança visou ampliar os locais de recebimento, inclusive com a opção de antecipação do pagamento, além de preservar a segurança de contribuintes e funcionários dos postos fiscais.

Nas ruas

O candidato a prefeito Almeida Lima (PPS) colocou hoje cedo sua campanha nas ruas de Aracaju. O pontapé inicial aconteceu no terminal de ônibus da avenida Visconde de Maracaju, zona norte da cidade. Na conversa com os populares, o prefeiturável fez questão de ressaltar que o povo precisa de um transporte público de qualidade.

Licitação

O governador Marcelo Déda (PT) reagiu pelo twitter à promessa feita pelo candidato a prefeito João Alves Filho (DEM) de, caso seja eleito, cancelar a licitação de transporte coletivo da capital. Segundo o petista, “a licitação ainda nem aconteceu e o João Alves já quer anular. Será que a presença dos donos das duas empresas de ônibus na coligação dele é mera coincidência?”, indaga o governador.

Preço do voto

O valor do voto nos 11 maiores colégios eleitorais de Sergipe pode chegar a R$ 53,97 se os candidatos majoritários conseguirem e gastarem o valor máximo de recursos declarados no ato de pedido de registro de candidaturas. Segundo levantamento feito pelo jornalista Eugênio Nascimento e publicado no blog Primeira Mão, em Aracaju o voto pode custar R$ 60. São Cristóvão terá o sufrágio popular mais caro: R$ 112,18. O mais barato é o de Tobias Barreto: R$ 29,17.

Proibidas

A partir desta segunda-feira, as empresas de telefonia celular avaliadas pela Anatel com o pior desempenho na prestação de seus serviços por estado estão proibidas de vender novas linhas ao consumidor. A punição alcança a TIM, Oi e Claro. Em Sergipe, a proibição alcança apenas a operadora Claro. Para retomar os negócios, as três companhias terão de apresentar o Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal.

Dia do Escritor

O próximo dia 25 é dedicado ao escritor brasileiro. Para comemorar a data, o Hiper Bompreço da avenida Gonçalo Rollemberg, em Aracaju, homenageará os escritores sergipanos Murillo Melins, Antônio Saracura, Ronaldo Dória, Zezé de Boquim, Pedro Amaro e Tito Souza. A exposição será aberta às 10h da manhã, no hall de entrada da loja e, no período da tarde, os homenageados vão autografar suas obras e conversar com os clientes do Bompreço sobre a profissão que abraçaram.

Do baú político

Os políticos – claro que existem exceções – sempre gostaram da putaria. Um bom exemplo disso é dado pelo jornalista Luiz Eduardo Costa, que publicou no Jornal do Dia o seguinte texto: “Ir ao cabaré, escrito assim mesmo sem o t final da palavra francesa, era hábito arraigado entre grande parte dos políticos sergipanos. Chegamos a ter um governador interino que ia aos redutos das chamadas ‘mulheres da vida fácil’ acompanhado de ajudantes de ordens da Polícia Militar, no veículo oficial, chapa preta, número um, que tinha sobre o para-lama dianteiro a bandeirinha de Sergipe tremulando. Houve até um senador que chegou a comparar o cabaré com o Céu. Muitos entendimentos e também muitas explosivas e até sangrentas desavenças entre políticos aconteceram em torno de uma mesa animada de movimentados cabarés. Ilustres integrantes do Poder Judiciário eram assíduos freqüentadores dos lupanares, digamos assim, de elite, e um deles, figura rotunda, exibia-se feliz tendo ao colo a mais cobiçada entre as damas da noite”.

Resumo dos jornais

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais