MUSIQUALIDADE

0

R E S E N H A     1

 

Cantor: PEDRO MIRANDA

CD: “COISA COM COISA”

Gravadora: DECKDISC

 

Pedro Miranda é cantor, compositor e integra o Grupo Semente que é, atualmente, um dos responsáveis pela renovação do samba no boêmio bairro da Lapa, no Rio de Janeiro. Casado com a também sambista Teresa Cristina, Pedro acaba de pôr no mercado, através da gravadora Deckdisc, o seu primeiro CD intitulado “Coisa com Coisa”.

Trata-se de um dos grandes lançamentos do ano até agora. O artista consegue reunir o que há de melhor na nossa música popular brasileira e o faz com doses exatas de simplicidade e galhardia. Se não é um cantor extraordinário, sua voz bastante agradável passeia sem sustos por um repertório que é composto por ritmos diversos, tais como samba, choro, embolada, samba-canção e valsa.

Pedro abre o disco com uma rara parceria de Paulinho da Viola e Candeia, a interessante “Amor sem Preconceito”, e segue alternando com eficiência canções mais antigas (como a faixa-título, de autoria de Zé Ketti) com outras de safra mais recente (caso de “O Samba é Meu Dom”, de Wilson das Neves e Paulo César Pinheiro). Consegue casar com felicidade músicas românticas (como “Ciúme sem Razão”, de Alberto Ribeiro e João de Barro) com outras bem animadas (caso de “Chula Cortada”, de Roque Ferreira). E resgata na hora certa criações pouco conhecidas dos gênios Chico Buarque (“Doze Anos”), Heitor dos Prazeres (“Nada de Rock Rock”) e Jararaca (“O Sapo no Saco”).

Para completar, há ainda as bem-vindas participações especiais de Eduardo Galloti (na bem-humorada “Caixa Econômica”, de Nássara e Orestes Barbosa), da já citada Teresa Cristina (na deliciosa “Dona Joaninha”, de Ary Monteiro e Zé da Zilda) e do grupo Cordão do Boitatá (na inteligente “Vírgula”, de Alberto Ribeiro e Frazão).

Um primor de trabalho que não pode faltar em qualquer cedeteca que se preze!

 

 

R E S E N H A     2

 

Cantores: MARCELO QUINTANILHA e VÂNIA ABREU

Título: “PIERROT & COLOMBINA”

Gravadora: YB BRASIL

 

Alguns ótimos artistas, por várias questões que regem a estratégia do mercado fonográfico nacional, terminam correndo por fora e fazendo trabalhos independentes bem interessantes. Este é o caso de Vânia Bastos e Marcelo Quintanilha que, alijados de contratos com grandes gravadoras, acabam de lançar o CD “Pierrot & Colombina” através do pequeno selo YB Brasil.

Vânia, depois de um primeiro disco equivocado, gravou álbuns memoráveis como “Pra Você” e “Seio da Bahia”. Cantora de voz suave e afinada, ela tem mostrado inteligência própria na escolha de seu repertório e, diferentemente da irmã Daniela Mercury que optou por adotar uma miscelânea de estilos na sua carreira musical, mergulhou de cabeça na MPB.

Marcelo Quintanilha, que ultimamente vinha assinando Quinta, é bom compositor. Tem lançado trabalhos razoáveis, o melhor deles o CD “Mosaico”, lançado no ano passado. Como cantor, sabe adequar sua voz pequena às canções que interpreta, conseguindo resultados satisfatórios.

Casados já há alguns anos, os dois resolveram unir os esforços e gravaram o ora recém-lançado CD, produzido por Maurício Tagliari e calcado em arranjos acústicos enxutos, porém muito bem estruturados, os quais são executados por músicos como Rodolfo Stroeter (no baixo), Da Lua (percussão) e Toninho Ferragutti (acordeão). A idéia conceitual foi reunir diversas canções cujos temas remetem ao Carnaval e apresentá-las em clima mais intimista. As quinze faixas passeiam por autores do porte de Chico Buarque, Edu Lobo, Ary Barroso, Tom Jobim e Vinicius de Moraes.

Os maiores destaques ficam por conta das canções menos conhecidas. É o caso do afoxé “Lamento de Carnaval”, uma bem construída crítica social que tem como curiosidade ser uma das primeiras composições de Gilberto Gil, e da bela “Além da Brincadeira”, do próprio Quintanilha. Mas as apropriadas releituras de “Máscara Negra” (de Zé Kétti e Pereira Mattos) em inusitado clima de valsa e da pouco conhecida bossa “Aquele Frevo Axé” (parceria de Caetano Veloso e Cézar Mendes) também são pontos altos desse disco que vem para consolidar a carreira dos dois talentosos artistas.

 

 

N O V I D A D E S

 

·               E segue com o maior sucesso a encenação do musical “Ópera do Milho” no Centro de Criatividade. Sábado passado, o público que lotava o espaço não arredou pé nem mesmo quando a chuva insistia em cair. Sábado que vem, às 20 horas, vai ter mais. A entrada é franca e o espetáculo conta com a apresentação de cantores ao vivo, supervisionados pelo experiente Neu Fontes, e com a presença de mais de 20 atores em cena. Realmente imperdível!

 

·               Acaba de sair a relação contendo os nomes dos 24 artistas que estarão concorrendo ao Prêmio Visa deste ano (Edição – Compositores). São eles: André Abujamra (SP), Fred Martins (RJ), Guilherme Rondon (SP), Danilo Moraes (SP), Rodrigo Lessa (RJ), Lucina (MT), Luiz Carlos da Vila (RJ), Vitor Santana (MG), Leandro Medina (PA), Alzira e Arruda (SP), Mário Sève (RJ), Márcio Valverde (BA), Zé Paulo Becker (RJ), Cadafalso (SP), Marcelo Arruda Onofri (MG), Totonho (PB), Ladston do Nascimento (MG), Renato Epstein (SP), Wilson Moreira (RJ), Márcio Pazin e Roberval Pereyr (SC), Eugênio Leandro (CE), João Donato e Lysias Ênio (RJ), João Linhares (PB) e Kristoff Silva (EUA). Alguns deles já são bastante conhecidos. Outros começam a aparecer agora. Mas que de fato vença o melhor!

            

·               O segundo volume do CD e DVD “RoupAcústico” foi gravado semana passada na casa de espetáculos Tom Brasil, em São Paulo. Dentre vários hits regravados em formato acústico, o repertório do novo trabalho conta com canções inéditas, como é o caso da faixa “É Cedo” que teve a participação especial de Pedro Mariano. Outras presenças ilustres foram a de Marjorie Estiano (em “Flagra”), de Toni Garrido (em “Sensual”) e de Cláudia Leite, vocalista da banda baiana Babado Novo (em “Um Sonho a Dois”).

 

·               Em seu novo disco, a compositora e cantora Klébi Nori dá um salto exponencial com relação aos seus trabalhos anteriores. O CD intitulado “Inverno do seu Jardim”, um lançamento da gravadora Atração, faz-se uma agradabilíssima surpresa para os aficcionados na boa música. Klébi canta direitinho, mas o seu talento maior reside indiscutivelmente na arte de compor. Autora de letras inteligentes, com achados interessantes, é responsável também por construções melódicas complexas e originais, criativas e assimiláveis na medida certa. Os arranjos são concisos, porém muito bem amarrados, o que resulta em um som muito gostoso de se ouvir. São treze faixas, todas de sua autoria (duas delas em parceria com o tecladista José Antônio Almeida), dentre as quais merecem ser destacadas a crítica e atual “Fábula da Carroça”, a delicada “Baluarte”, o delicioso roquezinho “Rua de Fumaça”, o insuspeitado forró “Virou, Mexeu” e a belíssima “Tempo em Comum”, esta contando com a participação especial do cantor Roger Moreira. Um álbum muito legal e que merece ser conhecido!

 

·               Considerado imitador de Jorge Ben Jor quando surgiu (assim como aconteceu no início da carreira de Jorge Vercilo com relação a Djavan), o carioca Bebeto chegou a emplacar alguns hits na década de setenta e depois sumiu do mapa. Volta agora através de CD e DVD gravados ao vivo e produzidos pelo mago Mazzola. Os maiores sucessos estão lá (como, por exemplo, o maior de todos eles: a canção “A Beleza é Você, Menina”). Se é verdade que a inspiração em Ben Jor faz-se incontestável (basta ouvir faixas como “Salve Ela” e “Florisbela”), também se torna claro que Bebeto possui suingue e talento próprios. A base do repertório é composta por sambas, que vão de contagiantes sambas-funk a dançantes sambas-reggae, e o projeto, como não poderia deixar de ser, conta com participações especiais. Estão lá: Zeca Baleiro (em “Praia e Sol”), Davi Moraes (em “Viva o Sol”), Seu Jorge (em “Eu Bebo Sim”) e Zélia Duncan – olha ela aí de novo, gente! – (em “Como?”).

 

·               A cantora Paula Lima agora faz parte do cast da gravadora Indie Records e em breve deverá entrar em estúdio. Depois de estrear com o ótimo disco independente “É Isso Aí!”, foi contratada pela Universal por onde lançou um trabalho aquém de seu talento. Na nova casa, terá mais liberdade para escolher o repertório e isso faz com que o seu próximo trabalho já seja aguardado com ansiedade.

 

·               A compositora Isolda, responsável pela autoria de vários sucessos nacionais (o maior deles é incontestavelmente a canção “Outra Vez”, gravada originalmente em 1977 por Roberto Carlos e que já conta atualmente com o extraordinário número de cento e cinqüenta e oito regravações), decidiu se arriscar como cantora e estará lançando, em breve, o seu primeiro CD intitulado “Tudo Exatamente Assim”.

 

·               O novo DVD de Jorge Vercilo vai contar com participações de peso. Nos extras, o público poderá assistir a Ana Carolina interpretando a canção “Abismo” (de autoria dos dois) e a Marcos Valle e Leila Pinheiro, juntos na música “Pela Ciclovia” (que faz parte do último álbum de Leila e é a primeira parceria de Jorge e Marcos). Dirigido por Roberto de Oliveira, o DVD será lançado, através da gravadora EMI, no final de julho e sairá junto com o correspondente CD ao vivo.

 

 

RUBENS LISBOA é compositor e cantor


Quaisquer críticas e/ou sugestões serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais