Não faça o que faço

0

Não faz muito tempo, o governo de Sergipe teve que recorrer ao Supremo Tribunal Federal porque estava sendo punido financeiramente em função de o Tribunal de Contas do Estado (TCE), a Assembleia e o Ministério Público estarem desrespeitando a Lei de Responsabilidade Fiscal. O Executivo conseguiu provar que vinha sendo penalizado pelo erro dos outros e voltou a receber recursos federais. Pois bem, ontem o TCE decidiu chamar a atenção de 11 prefeituras que estão gastando com pessoal além do que prevê a Lei de Responsabilidade Fiscal. Ora, quem não faz a lição de casa, tem moral para passar reprimendas nos outros? E se os prefeitos alegarem que aprenderam a desrespeitar a Lei com o próprio TCE? Este é a clássica situação do “faça o que digo não faça o que faço”.

Na porrada

Revoltados com a superlotação, um grupo de passageiros depredou ontem em Aracaju dois ônibus velhos. Transporte coletivo deve ser um dos principais temas da campanha eleitoral deste ano. Os aracajuanos precisam ficar atentos com as promessas dos candidatos e averiguar quais os que são apoiados pelos empresários do setor. Estes, podem ter certeza, não farão nada para mudar o quadro atual.

Marré deci

A candidata a prefeita Vera Lúcia (PSTU) criticou as previsões de gastos feitas por seus adversários. Segundo ela, João Alves Filho (DEM), Valadares Filho (PSB), Almeida Lima (PPS) e Reinaldo Nunes vão gastar uma fortuna porque precisam mentir para os aracajuanos. Alegando ser pobre de marre deci, Vera disse não precisar de dinheiro para apresentar suas propostas ao eleitorado.

Agora pode

O governo federal já pode divulgar na internet os salários dos servidores públicos. Foi o que decidiu ontem o presidente do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres Britto. Ele suspendeu a liminar que impedia a divulgação do salário. A decisão do ministro sergipano vale até que o Supremo analise o mérito da causa.

Condenados

A Justiça Eleitoral condenou por propaganda política antecipada o ex-prefeito da Barra dos Coqueiros, Airton Martins, os deputados estaduais Francisco Gualberto e Garibalde Mendonça e Valéria Souza Ferreira. Todos terão que pagar multas que variam de R$ 5 mil a R$ 10 mil. Os três primeiros foram acusados de participar de um comício, enquanto a moça foi punida por ter colado adesivo no carro com os dizeres “Vem aí Valéria Xuamba – Seriedade com o Povo – Barra dos Coqueiros”.

Olho da rua

Acusado de desviar recursos públicos, o prefeito de Indiaroba, João Eduardo Viegas Mendonça, teve o mandato cassado pela Justiça Federal. Ele também terá que devolver a “grana” aos cofres públicos, pagar multa e perdeu os direitos políticos por sete anos. João Eduardo ainda pode recorrer da sentença.

Morte na garupa

Dos 575 acidentes de trânsito ocorridos este ano em Sergipe, 203 envolveram motociclistas. O balanço feito pela Companhia de Polícia Rodoviária Estadual mostra ainda que os acidentes deixaram 299 vítimas, das quais 52 morreram. Nos primeiros seis meses deste ano, foram aplicadas 3.412 autuações, com a apreensão de 190 habilitações e 416 veículos.

Já era

O blog aposta uma mariola como o senador Demóstenes Torres (ex-DEM) será cassado hoje pelos colegas de Parlamento. Acusado de participar das falcatruas promovidas pelo bicheiro Carlinhos Cachoeira, o ex-demista jura ser inocente, mas seguramente terá o mandato cassado. Alguém duvida?

Lavanderia

Agora, o jogo do bicho e a exploração de máquinas caça-níqueis poderão ser considerados crimes e terão punições mais rígidas. Pelo menos é o que se espera com a sanção da lei de combate a lavagem de dinheiro. De autoria do senador Antônio Carlos Valadares, a nova legislação amplia os tipos de crimes que podem ser enquadrados como lavagem de dinheiro.

Do baú político

Diferente de hoje, que até agentes de segurança temem entrar num reformatório penal, num passado recente ocorriam verdadeiras festas na antiga penitenciária de Aracaju, localizada no bairro América. Quando aquela casa de reclusão foi dirigida pelo hoje procurador de Justiça aposentado Fernando Matos, até times profissionais iam aos domingos jogar amistosos no campo do presídio. O desportista Manoel Gonçalves, o “Manoel Baiano”, contou que várias vezes a Associação Desportiva Confiança jogou com o time dos presidiários. Fernando Matos confirma a informação: “Nas duas ocasiões que dirigi a penitenciária (governos Paulo Barreto e Augusto Franco), sempre convidava times profissionais e amadores para jogar lá e tudo terminava em festa, mesmo quando a equipe da casa perdia”, conta. Manoel Baiano também revelou que os presos só não gostavam muito dos árbitros convidados. “Não os chamavam de ladrões – termo proibido entre eles –, mas gritavam: ‘você devia está aqui com a gente’. O árbitro ficava pianinho, a ponto de pensar duas vezes na hora de marcar um pênalti a favor da equipe visitante”.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais