O pior time de candidatos

0

As eleições deste ano, para Presidente da República, vão entrar para a História, certamente, como aquela que reuniu o pior naipe de candidatos. Não há que se orgulhar dos caras – e das mulheres – que se apresentaram perante os eleitores para deles obter o seu voto. Dos nomes que nos foram submetidos, o mais grosseiro de todos, e o cearense Ciro Gomes mas o líder nas pesquisas, Jair Bolsonaro não lhes fica muito atrás Mas, Ciro Gomes não tem nenhuma condição de pleitear a Presidência da República. O  País não pode correr o risco de cometer outro erro desta natureza. Ciro não passa de um falastrão, agressivo, desrespeitoso e até imoral. Recentemente ofendeu gravemente em um programa de rádio, um vereador negro de São Paulo, rotulando-o como “capitãozinho do mato”. OI próprio parlamentar manifestou-se indignado com a ofensa. O Ministério Público, diante dos fatos e da manifesta injúria racial, resolveu processar o pré-candidato. Num programa de televisão, Ciro não titubeou, fez ameaças e qualificou o promotor do caso como “filho da p***”. Um comportamento que não se coaduna com quem se apresenta como candidato a chefiar  a nação num momento tão conturbado. Ciro, portanto, não tem o mínimo de preparo moral e intelectual.

E-mails recebem muita porcaria

Uma das grandes invenções da humanidade, na primeira metade deste século 21, certamente  é a internet. Mudou, e continua mudando o comportamento da Humanidade na área de comunicação. Os chamados e-mails também mudaram o modo de a Humanidade se comunicar. Hoje, usa-se menos os serviços dos Correios porque os e-mails o substituíram com eficiência e rapidez. O grande problema dos e-mails hoje, porém, é a enormidade de porcaria que nos chegam nas caixas de entrada. Muito mais da metade dos e-mails que o escriba recebe diariamente são de assuntos e temas que não nos interessam. Perde-se um tempo enorme  para checar todos os e-mails. É necessário e urgente um selecionador de e-mails. Do jeito que está hoje perde-se um tempo demasiado extenso para checar tudo que nosso chegam.

Ei, Amorim, quanto custará manter o Hospital do Câncer?

O Senador Eduardo Amorim, que é pré-candidato ao Governo do Estado, concedeu entrevista ao programa  do professor Ludwig Oliveira, no face-book e no you-tube, naturalmente falando, mais uma vez… do Hospital do Câncer. Parece ser o seu assunto único. Dr. Eduardo Amorim, tem tantos assuntos importantes acontecendo no Estado e no País e o senhor só se preocupar com este bendito Hospital do Câncer. Tá legal, aproveite seus pronunciamentos e exiga que o Governo do Estado faça uma estimativa de quanto vai custar a manutenção do Hospital, quando ele estiver funcionando. O Estado terá condições de arcar com um hospital deste tamanho?

A fazenda era do Eliseu Padilha

Há onze meses atrás, a Polícia Civil do Mato Grosso, em função do requerimento do Ministério Público Estadual , cumpriu mandato de busca e apreensão na Fazenda Paredão no município de Bila Bela da Santissima Trindade. Uma fazenda paradisíaca, que, para os 15 mil moradores do município, pertencia ao Sr. Marco Antônio Tozzatti. Porém, o que pouca gente  sabe, e possivelmente nem a própria polícia itinha conhecimento, é que o sócio de Tazzati é o atual Ministro chefe da Casa Civil da Presidência da República, Sr. Eliseu Padilha. A operação policial apreendeu dois caminhões carregados de madeira extraída ilegalmente do Parque Estadual da Serra e uma arma de fogo também irregular. A medida se estendeu até a fazenda Jasmin, igualmente de propriedade de Eliseu Padilha.  Até hoje, porém, a operação policial não rendeu um só processo…

O número de celulares

O Brasil fechou o mês de maio com 235,5 milhões de linhas de celular. O total foi 6,7 milhões menor do que o registrado em maio do ano passado. Os dados foram divulgados pela Agência Nacional de Telecomu nicações (Anatel). As estatísticas medem os acessos e não o número de pessoas com linhas, já que diversas pessoas podem adquirir mais de um chip. Do total de linhas  registradas em maio, 144,15  milhões eram pré-pagas, o que representa 61%. No período de um ano, a queda desse tipo de acesso foi maior, chegando a 17,7 milhões. Enquanto isso, no mesmo período os contratos pós-pagos cresceram 11 milhões. Ou seja, embora o saldo dos últimos doze meses tenha sido negativo, a proporção de acessos pós-pagos aumentou no país. Em geral essa modalidade está relacionada a maiores pacotes de voz

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais