POR QUE O FRANGO CRUZOU A ESTRADA ?

0

O meu amigo Clínio Guimarães me enviou essa pérola e eu não resisti; mudei uma coisinha aqui ,uma acolá, uma ali.Vejam o que pensam algumas das figuras mais ilustres da história.

Professora primária:  porque ele queria chegar ao outro lado da estrada.

Uma criança: porque sim.

Gilberto Gil: ele viu possibilidades de impossibilidades  de ficar cosmicamente apenas de um lado, porque a cultura é o do-in da antropologia. Além do mais, a purpurina atrai e desmentaliza a mentalização, ou não , como diz o Caetano.

Poliana: porque estava feliz.

Platão: porque buscava alcançar o Bem.

Aristóteles: é da natureza dos frangos cruzar a estrada.

Luciana Gimenez: ele atravessou em busca de sua origem, porque está estudando a teoria da devolução.

Nelson Rodrigues: porque viu sua cunhada, uma galinha sedutora, do outro lado.

Marx: o atual estágio das forças produtivas exigia uma nova classe de frangos, capazes de cruzar a estrada.

Moisés: uma voz vinda do além bradou: Cruza  a estrada! Cruza a estrada! E o frango cruzou a estrada e todos se regozijaram.

Almir Klink:para onde nenhum frango jamais esteve.

José Genoino: antes de tudo precisamos analisar se foi uma atitude dentro da doutrina partidária. Não iremos admitir posicionamentos isolados. Se não foi uma decisão do partido, ele deve procurar outras siglas, em qualquer lado da estrada.

Martin Luther King: eu tive um sonho. Vi um mundo no qual todos os frangos serão livres para cruzar a estrada sem que os seus motivos sejam questionados.

Maquiavel:a quem importa o porquê? Estabelecido o fim de cruzar a estrada, é irrelevante discutir os meios que utilizou para isso.

Freud: a preocupação com o fato de o frango ter cruzado a estrada é um sintoma de sua insegurança sexual.

Ana Maria Braga: ele atravessou a estrada porque estava chovendo no lado em que estava.

Darwin: ao longo de grandes períodos de tempo, os frangos têm sido selecionados naturalmente, de modo que,agora, têm uma predisposição genética a cruzar estradas.

Einstein: se o frango cruzou a estrada ou a estrada se moveu sob o frango, depende do ponto de vista. Tudo é relativo.

Hemingway: To die? Alone. In the rain?

George Orwell: ele cruzou para fugir da ditadura dos porcos.

Lula: os fogos do espetáculo do crescimento o atraíram. E o outro lado da estrada, herança maldita de FHC, ficou definitivamente para trás.

Sartre: trata-se de uma mera fatalidade.A existência do frango está em sua liberdade de cruzar a estrada.

Um maconheiro: Uuuuu, foi uma viagem….

Uma feminista: para humilhar a franga, num gesto exibicionista, tipicamente machista, tentando, além disso, convencê-la de que, enquanto franga, jamais terá habilidade suficiente para cruzar a estrada.

Nietzsche: ele deseja superar a sua condição de frango, para tornar-se um superfrango.

Guido Mantega: ele certamente busca uma estabilidade sustentada, coisa difícil de conseguir no lado em que estava, porque estava muito alto o risco frango.

Blaise Pascal: quem sabe? O  coração do frango tem razões que a própria razão desconhece.

Sócrates: tudo que sei é que nada sei sobre o frango.

Parmênides:o frango não atravessou a estrada porque não podia mover-se. O movimento não existe.

Caetano Veloso: o frango é amaro, é lindo, uma coisa assim amara. Ele atravessou, atravessa e atravessará a estrada porque Narciso, filho de Canô, quisera come-lo-ou não!

Dorival Caymmi: eu acho( uma longa pausa)….? Amália, vai ver pra onde vai esse frango pra mim, minha filha, que o pessoal ta querendo saber…

Carla Perez: ele atravessou a estrada porque queria se juntar aos outros mamíferos.

Um surfista:o bicho atravessou,cara? Bicho manêro, aí. Demaaaaaiiiiissss. Isahh.

Um porta-voz  da Otan: era um frango ? Iiihhhhh……

Che Guevara: hay que cruzar la carretera, pero sin jamás perder la ternura.

Maluf: não tenho nada a ver com isso. Perguntem ao Pita.

FHC: por que atravessou a estrada não vem ao caso. O importante é que, no meu governo, o povo comia mais frango.

Kleber Bam-Bam: faz paaaaaarrrrte!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários