Sílvio Santos vem aí

0

O ex vice-prefeito de Aracaju, Sílvio Santos (PT), assume hoje a Secretaria Estadual da Saúde em substituição a Antonio Carlos Guimarães. Chega com carta branca do governador Marcelo Déda (PT) para fazer as mudanças necessárias visando melhorar o atendimento prestado aos sergipanos. Não será tarefa fácil, pois não basta competência para tirar a saúde da UTI em que se encontra. É preciso ter muito mais recursos e isso, como se sabe, depende do governo federal, que fechou as torneiras para um setor tão importante. Apesar disso, Sílvio Santos merece um voto de confiança da sociedade sergipana, pois conseguiu melhorar a saúde pública em Aracaju no período em que respondeu pela Secretaria Municipal. Se receber o apoio prometido pelo governador, pode fazer o mesmo nessa nova empreitada. Portanto, vamos aguardar.

Exagerado

Entrevistado hoje por Douglas Magalhães, na rádio Atalaia/AM, o deputado estadual Venâncio Fonseca (PP) saiu com essa: “Não acontecem mais roubos em Sergipe porque está faltando ladrão”. Menos, deputado, menos!

Mudança

Quem costuma trafegar pela avenida Tancredo Neves, em Aracaju, deve ficar atento. É que a Prefeitura vai mudar o trânsito naquela via objetivando diminuir os transtornos causados pelas obras de duplicação do viaduto do Detran e dos acessos à ponte Gilberto Vila-Nova de Carvalho, que liga o núcleo residencial Ignácio Barbosa ao conjunto Augusto Franco. As mudanças serão anunciadas daqui a pouco pelo prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B).

De graça

A partir de hoje, drogarias credenciadas no programa Aqui Tem Farmácia Popular começam a distribuir gratuitamente remédios contra a asma. Para retirar os três medicamentos – brometo de ipratrópio, diproprionato de beclometasona e sulfato de salbutamol – é preciso apresentar um documento com foto, o CPF e a receita médica dentro do prazo de validade. A medida visa atender, prioritariamente, crianças com até 6 anos, já que a asma está entre as principais causas de internação nessa faixa etária.

Mais caro

O preço do pão deve ser reajustado entre 5% a 10% nos próximos 15 dias. A informação é do empresário Antônio Carlos de Araújo, presidente do Sindicato da Panificação e Confeitarias do Estado de Sergipe (Sindipan). De acordo com ele, as padarias serão forçadas a repassar pelo menos parte da alta verificada nos preços da farinha, provocada pelo aumento do dólar, além do reajuste salarial de 10% a 12% concedido aos empregados do setor.

Fora da Copa

Não passou de desejo a indicação de Sergipe como uma das sub-sedes da Copa do Mundo de 2014. Como não construiu a tempo o Centro de Treinamento, que deveria ficar no Hotel Dioro Santa Luzia Resort, fechado desde maio de 2011, a FIFA cortou Sergipe da relação dos estados que receberão seleções de futebol internacionais. A notícia é péssima, principalmente para o setor turístico sergipano.

Sucessão

O governador Marcelo Déda tentará fechar esta semana o acordo com os partidos aliados para a indicação de um candidato único a prefeito de Aracaju. Com este objetivo, está marcada para a próxima quinta-feira uma reunião de Déda com os líderes do PT, PSB, PMDB e PC do B. Os petistas são os mais interessados que o acordo saia logo, pois vão se reunir sábado próximo para discutir sobre as eleições deste ano na capital.

Vai melar

A direção estadual do PSC veta a anunciada aliança feita pelo partido em Estância com o PT. Pelo menos é o que informa o site Nenotícias, do radialista Gilmar Carvalho, fiel escudeiro dos irmãos Amorim. Pelo acordo fechado na semana passada, o candidato a prefeito de Estância seria o empresário e ex-vereador Zé Magno (PSC), tendo como companheiro de chapa Careca do MST (PT). Segundo o Nenotícias, o diretório do PSC estanciano já foi informado pela direção estadual sobre o veto ao acordo.

Potpourri

“Homem que é homem não chora! Não, não chora/ Quando a mulher vai embora, vai embora”. “Eu chorei na avenida, eu chorei/ Não pensei que mentia a cabrocha que eu tanto amei”. “Meu rosto vermelho e molhado/ É só dos olhos pra fora/ Todo mundo sabe/Que homem não chora”. Quem está com a verdade: Martinho da Vila, Samba de Rainha ou Frejat?

Do baú político

As más línguas não se cansam de afirmar que se comprou tantos votos nas últimas eleições em Sergipe que, por pouco, alguns candidatos não jogaram dinheiro de avião. Tivessem feito isso, não estariam inovando. Na eleição de 1966, o então deputado estadual Fernando Prado Leite (PR) candidatou-se à Câmara Federal e resolveu fazer uma campanha diferente. Além de contratar artistas famosos para animar seus comícios, fez uso do rádio para divulgar as propostas políticas, coisa inédita no estado. Achando pouco, alugou um pequeno avião para dar rasantes e jogar dinheiro nas feiras do interior. “Eu conseguia nos bancos cédulas novinhas de um cruzeiro e jogava para a meninada. Era uma festa”, lembra. Apesar de ter feito até ‘chover dinheiro’, Fernando Leite não se elegeu porque, segundo conta, a Justiça Eleitoral impugnou boa parte dos votos que teve em Aracaju. Motivo: os eleitores escreveram na cédula eleitoral “o Brasa”, que era seu apelido político, coisa que a legislação casuística do golpe militar não permitia em hipótese alguma.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais