Sopa de baiacu

0

O racha político entre o governador Marcelo Déda (PT) e os irmãos Amorim (PSC) desmanchou os planos que vinham sendo feitos por eles para as eleições municipais deste ano. Desprevenidos, agora todos correm atrás de nomes para substituir candidaturas inviabilizadas pelo rompimento do grupo, enquanto turbinam os discursos que farão nos palanques contra os novos adversários. Em um desses ensaios verbais, Déda se disse apunhalado pela presidente da Assembleia, deputada Angélica Guimarães (PSC), a quem chamou de traíra. O mesmo adjetivo já havia sido usado por ele contra a também deputada Maria Mendonça (PSB), sua ex-aliada. O clima de tensão gerado pelo racha dos dois grupos permite prever que a campanha eleitoral será recheada de acusações e frases de efeito. Tomara que nestas águas turvas o eleitor saiba escolher os melhores candidatos para não ter que digerir depois uma indigesta sopa de baiacu.

Baixou a bola

O bombástico discurso que o deputado estadual Gustinho Ribeiro (PSD) prometeu fazer contra o também deputado Augusto Bezerra (DEM) não passou de um traque de salão. Acusado pelo demista de usar o Tribunal de Contas do Estado para pressionar prefeitos a apoiá-lo, o pessedista prometeu bombardear a biografia de Bezerra, mas recuou. Após ouvir Gustinho, Augusto reagiu: “Você é um mosqueteiro do Paraguai”. Misericórdia!

Volta às aulas

A greve dos professores, que já dura quase dois meses, é ilegal. Pelo menos foi o que decidiu a desembargadora Suzana Maria Carvalho, ao conceder liminar solicitada pelo governo para acabar com a paralisação. A magistrada também estabeleceu multa de R$ 20 mil por cada dia de descumprimento da decisão. Isso significa que nos próximos dias os mais de 200 mil alunos da rede estadual retornarão as salas de aula.

Está tinindo

O ex-governador João Alves Filho (DEM) manda avisar aos adversários que sua saúde é uma maravilha. Ele não gostou de notinhas veiculadas na imprensa dando conta que anda muito adoentado a ponto de ter pensado em desistir de disputar a Prefeitura de Aracaju. “Ando diariamente nove quilômetros na praia”, disse Alves Filho, que desafiou os “boateiros” a o acompanharem na “maratona”. Alguém topa?

Dia de Luto

O que temos para comemorar neste 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente? Melhor é lamentar a falta de aterros sanitários, a poluição dos corpos d’água, a ação criminosa das moto-serras, a desertificação, a extinção de animais e plantas, e chorar com a poluição industrial. Na verdade, hoje deveria ser o Dia Mundial de Luto pelo Meio Ambiente.

Fisco contribuinte

A Secretaria Estadual da Fazenda promove hoje o 2º Fórum Fisco e Contribuinte, que terá como tema ‘Fisco eletrônico: Sistema Público de Escrituração Digital – SPED’. O evento tem como público alvo empresários e profissionais de contabilidade que precisam saber detalhes do SPED Fiscal. O Fórum será realizado no auditório Terra Caída do Centro de Convenções, das 14h às 17h.

Boa sorte

O novo secretário estadual da Saúde, Sílvio Santos, vai precisar de toda sorte do mundo para melhorar o atendimento médico-hospitalar oferecido aos sergipanos. Empossado ontem, ele prometeu distribuir melhor os recursos para fazer funcionar os hospitais, as clínicas de saúde e as maternidades instaladas no interior. Admitamos, não será tarefa fácil.

País do forró

Será aberto hoje à noite, no teatro Atheneu, o Fórum do Forró, que marca o início dos festejos juninos em Aracaju. Este ano o evento terá como tema principal o centenário de nascimento de Luiz Gonzaga. Promovido pela Prefeitura, o Fórum é gratuito e acontecerá durante dois dias. Prestigie!

Canta de galo

Após bater asas do ninho do urubu, Ronaldinho Gaúcho pousou no galinheiro do Atlético Mineiro. Com jeitão de galo, a ex-ave de rapina promete reduzir as noitadas para melhorar a performance no gramado. É aguardar o primeiro confronto do Urubu com o Galo para saber se Ronaldinho já aprendeu a cacarejar.

Do baú político

Em artigo intitulado “A Casa do Povo”, o desembargador aposentado Artur Oscar de Oliveira Déda elogia o comportamento do ex-deputado estadual Napoleão Emídio. O blog pinçou o seguinte trecho do artigo: “Contaram-me que estava na ordem do dia a cassação do mandato de Armando Domingues, eleito pelo Partido Comunista do Brasil, que fora posto na ilegalidade. Armando era um bravo parlamentar esquerdista, médico humanitário, orador fluente e, sobretudo, um homem de bem. O seu colega de Frei Paulo somente o repetia no último atributo mencionado. Sim, Nepoleão Emídio era um caboclo sertanejo, trabalhador, honesto, sisudo, religioso, que não sabia fazer discurso, mas cuidava muito bem das suas fazendas e dos interesses do povo que representava. Tudo o levaria a considerar, sem o mínimo constrangimento, a saída do colega que rezava por cartilha tão diferente. Deu-se, porém, o contrário. Aconteceu a inesperada prática da solidariedade política. Houve o belo gesto! Naquele dia nefasto, o deputado que não falava, que não abria a boca para dizer coisa alguma, resolveu falar. E o fez da maneira como falam os sertanejos acostumados ao amanho da terra ‘Por que não deixam o homem acabar o seu eito?!’. Numa frase curta e simples, a revelação de um caráter íntegro”.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais