Ciosp: denúncia de falha no treinamento

0

Denúncia de falha no treinamento do Ciosp Foto:Reinaldo Gasparoni /SSP
Na manhã desta sexta-feira, 29, um funcionário da empresa terceirizado que presta serviço de telemarketing ao Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) denunciou que a atendente que teria ignorado o pedido de socorro do comerciante Eraldo de Jesus, morto na última segunda-feira,25, não recebeu o treinamento devido para atuar na função.

De acordo com o funcionário que preferiu não se identificar, a colega de trabalho passou por um treinamento de apenas três dias e começou a atuar na função através de indicação política.

Com medo o funcionário disse ainda que no Ciosp existe um cadastro de 40 pessoas que receberam o treinamento de dois meses e que após a morte do comerciante, algumas pessoas tem ligado ameaçando aos atendentes.

SSP

De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria da Segurança Pública (SSP) a responsabilidade da contratação da atendente é da empresa terceirizada e por isso desconhece o

Familiares de Eraldo dizem que vão entrar na Justiça contra o Estado Foto:Portal Infonet
critério político na contratação. “O primeiro grupo que começou a atuar no Ciosp, teve uma capacitação demorada de dois meses, onde receberam treinamento de emergência e de como detectar situações de perigo. Todo o treinamento é acompanhado por policiais que coordenam os terceirizados”, afirma Lucas Rosário, assessor da SSP.

Mudanças

Sem confirmar a retirada dos terceirizados do atendimento, a assessoria esclarece que estuda a possibilidade de mudanças no Ciosp. “Por enquanto não há mudanças com relação a retirada dos 80 atendentes para colocar 80 policiais militares, até porque existe um contrato com a empresa que presta o serviço”, completa o assessor.

Vítima

Familiares do comerciante afirmam que vão entrar na Justiça contra o Estado. De acordo com um irmão da vítima, o assassinato de Eraldo foi um erro cometido pela SSP.

O crime

O comerciante Eraldo de Jesus Santos, de 42 anos, foi vítima de latrocínio quando saía do seu estabelecimento, localizado no Centro da capital, quando foi surpreendido por três homens em um moto. O irmão da vítima disse que os homens pediram um refrigerante no depósito e ficaram esperando Eraldo sair. Quando estava atravessando a rua para levar uma quantia entre R$ 60 e 70 mil reais para a sua casa, localizada em frente ao estabelecimento, os bandidos atiraram e Eraldo morreu na hora.

Por Kátia Susanna

Um trecho da matéria foi retirado às 18h18 a pedido da SSP para evitar equívocos na interpretação.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais