Mulher morre após ser espancada pelo marido

0

Crime ocorreu em Canindé do São Francisco (Foto: Divulgação/Prefeitura Municipal)
Mais um crime contra mulher é registrado no interior do Estado, dessa vez no município de Canindé do São Francisco, a 213 km da capital sergipana.

A jovem, identificada como Iraneide da Silva Melo, 28 anos, morreu na manhã desta quarta-feira, 15, nas dependências do Hospital de Urgência e Emergência de Sergipe (Huse), onde foi internada na última terça-feira, 14, após ter sido espancada pelo companheiro, José Ivanildo de Souza, de 31 anos.

Indignado com o crime, o delegado da cidade, Cledson Farias, relatou a equipe do Portal Infonet que a família só comunicou à polícia as agressões após tomar conhecimento da morte da vítima. “Ela já vinha sendo agredida há muito tempo e ninguém nunca prestou um boletim de ocorrência. Só agora depois da morte a mãe resolveu falar do sofrimento que essa mulher vinha passando”, desabafa o delegado.

Delegado Cledson Farias diz: “Só depois da morte a mãe resolveu falar”
Cledson ainda pontuou que as informações que chegam a delegacia, é de que os próprios familiares de José Ivanildo de Souza orientavam a vítima, no sentido de tomar providências. “A situação era tão grave que os familiares dele aconselhavam ela para não aceitar mais a relação e prestar uma queixa, mas a jovem nunca teve coragem. Soube também que ele só procurava por ela quando estava bêbado”, relata.

Inquérito

Ainda de acordo com o delegado, foi realizada ainda na manhã dessa quarta-feira, 15, uma busca na cidade. “Assim que tomei conhecimento realizei uma diligência, mas o acusado já havia desaparecido. Vamos fazer todas as oitivas [ouvir os depoimentos das testemunhas e familiares] e concluir o mais rápido possível o inquérito, encaminhando para a justiça e solicitando a prisão preventiva desse homem”, explica Cledson.

O delegado ainda ressaltou que lamenta o que aconteceu com a jovem e faz um apelo para a sociedade. “É lamentável o que aconteceu com essa jovem. Se eu tivesse sido informado antes, se tivesse tomado conhecimento antes, teria pedido a prisão desse agressor e talvez isso não tivesse acontecido. Gostaria de pontuar que se qualquer mulher que esteja passando por uma situação como essa, ou até mesmo qualquer tipo de ameaç,a que não deixe de procurar imediatamente uma delegacia e que não tenham medo de denunciar” apela o delegado, solicitando ainda que se alguém tiver informações a respeito do paradeiro do acusado, ligar para o disque denúncia, pelo número 181.

Por Alcione Martins e Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais