SSP admite erro que levou a morte de comerciante

0

O erro foi fatal Foto:Portal Infonet
Um erro que levou à morte do comerciante Eraldo de Jesus Santos, de 42 anos, na última segunda-feira, 25. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), a atendente que recebeu a ligação do comerciante pedindo policiamento próximo ao seu estabelecimento, tomou a decisão por conta própria de não comunicar a ocorrência.

A denúncia foi feita pelo irmão da vítima que afirmou que antes de ser assassinado, Eraldo de Jesus, havia notado uma movimentação suspeita de homens em uma moto e, ao ligar para o 190, teria sido orientado a anotar a placa da moto.

“A atendente teria que passar a ocorrência para o despachante que iria acionar o coordenador para enviar as equipes para o local, ela tomou a decisão por conta própria e não comunicou a ocorrência”, disse o assessor de comunicação da SSP, Lucas Rosário.

Questionado sobre a eficácia do Ciosp, Lucas Rosário afirmou que as atendentes não têm poder de decisão e que são treinadas para que todas as ocorrências sejam passadas para os superiores.

“O serviço do Ciosp é muito bom, teve essa falha, mas, por meio da gravação de voz e com muita transparência para a imprensa verificamos o que aconteceu no caso do comerciante e de imediato a atendente foi demitida”, explica o assessor da SSP.

Crime

O comerciante Eraldo de Jesus Santos, de 42 anos, foi vítima de latrocínio quando saía do seu estabelecimento, localizado no Centro da capital, quando foi surpreendido por três homens em um moto. O irmão da vítima disse que os homens pediram um refrigerante no depósito e ficaram esperando Eraldo sair. Quando estava atravessando a rua para levar uma quantia entre R$ 60 e 70 mil reais para a sua casa, localizada em frente ao estabelecimento, os bandidos atiraram e Eraldo morreu na hora.

Por Kátia Susanna  

Comentários