Orquestra dos Meninos é lançado em Aracaju

0

Totalmente filmado em Sergipe, o novo longo do diretor Paulo Thiago estréia nacionalmente nesta segunda-feira, 29, com festa de lançamento em Aracaju. Na entrevista coletiva dada na manhã de hoje, atores, diretor, produtora e o próprio maestro Mozart Vieira destacaram a importância do Estado para a realização do filme.

“O povo sergipano é generoso e responsável. Se não fosse por vocês, esse filme não teria saído”, disse a produtora Gláucia Camargos. As cidades escolhidas como locações foram Santo Amaro, Laranjeiras, São Cristóvão e Aracaju. Embora a história

Paulo Thiago (esq) e Mozart Vieira
real do maestro se passe no interior de Pernambuco, o diretor Paulo Thiago explica que não filmar lá foi uma escolha.

“A história do Mozart é emblemática do Nordeste, poderia ter se passado em qualquer cidade”, disse. Ele conta que conheceu a história do maestro em 1995, mas só em 2000 foi conhecê-lo pessoalmente. “Quando cheguei na fundação, vi aqueles meninos sentados no jardim, no meio do sertão, tocando Bach. Eu chorei”, relembrou Paulo Thiago. “O filme nasceu desse sentimento”, resume.

Cladson Matos vive o garoto Josenildo
Sergipanos

Cladson Matos, um dos jovens atores sergipanos que aparecem no filme, fala de um sentimento parecido ao ver o seu trabalho finalizado. “Me emocionei muito hoje ouvindo as pessoas falarem do nosso trabalho, reencontrando todo o pessoal com que trabalhei no filme”, conta. Por conta de seu papel no filme, um dos alunos do maestro, ele passou a fazer aulas de saxofone e já sonha em prestar vestibular para Audiovisual na Universidade Federal de Sergipe.

“O filme abriu novas possibilidades para os pequenos atores sergipanos”, acrescentou a secretária de Estado da Comunicação. O já veterano ator sergipano

Othon Bastos, Gláucia Camargos e Murilo Rosa
Orlando Vieira destacou a importância do filme para a produção do Estado. “É um marco para o cinema sergipano. É um orgulho para nós”, afirma.

O filme

Orquestra dos Meninos conta a história do maestro e professor de música Mozart Vieira, vivido por Murilo Rosa. Na década de 90 ele foi injustamente acusado de seqüestrar um dos alunos do projeto social capitaneado por ele e sua esposa, Creuza. “É muito perigoso fazer o bem”, ponderou o maestro na entrevista coletiva.

Apesar de todas essas e outras dificuldades Mozart conta que até hoje o projeto continua sendo

Orlando Vieira participa de seu 14º filme
tocado por eles no interior de Pernambuco, atualmente tendo 200 alunos de 7 a 18 anos. “Hoje temos as mesmas dificuldades que tínhamos em 1978, quando começamos”, conta. A fundação só recebe apoio de duas instituições francesas.

“Não recebemos apoio de governo nem municipal, nem estadual, nem federal. No mês passado o telefone foi cortado por falta de pagamento”, disse. O maestro relembrou que a sua relação com Sergipe começou muito antes do filme. “A primeira vez que nossa Orquestra tocou em outro Estado foi no Festival Cultural de São Cristóvão, em 1985”, lembrou.

O filme entra em cartaz nos cinemas nacionias no dia 7 de novembro. Clique aqui e confira o trailler.

Por Gabriela Amorim

Comentários