Brasil é bicampeão da Copa das Confederações revivendo o futebol arte

0

Ao terminar o primeiro tempo do jogo em Buenos Aires, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2006, em que a Argentina acabara de superar o Brasil por 3 a 0, o técnico Carlos Alberto Parreira disse que nunca vira antes uma vantagem tão grande na história dos confrontos entre as duas seleções.

O futebol brasileiro provou mais uma vez que é o melhor do mundo

 

Nesta quarta-feira, dia 29 de junho, no Waldstadion, o técnico Carlos Alberto Parreira pôde constatar, orgulhoso, que a Seleção Brasileira tinha dado uma exibição como também poucas equipes foram capazes de apresentar em uma final.

O futebol brasileiro, que na Alemanha é motivo de admiração, deixou o Waldstation consagrado e com a torcida em sua grande maioria verde e amarela formada por brasileiros, alemães e de outras nacionalidades, reverenciando o talento e a categoria da equipe de Parreira durante toda a partida.

O futebol arte do Brasil esteve presente no Waldstadion e serviu também para dar uma lição nos argentinos.

Não havia espírito de revanche, como os jogadores já haviam falado, mas estava claro que os jogadores não haviam esquecido a derrota em Buenos Aires. Oo troco veio, então, em forma de show de bola nos belos gols dos pés de Adriano, Kaká, passando por Ronaldinho Gaúcho, nos 3 a 0, até chegar ao auge nos 4 a 0 com o gol de Adriano. Foram três minutos de toque de bola, com os argentinos envolvidos, sem saber o que fazer até a cabeçada de Adriano, que acabou por merecer o troféu de melhor do campeonato e de artilheiro com cinco gols.

Terminado o jogo, também merecidamente, os jogadores e a comissão técnica extravasaram a alegria de um grupo que está concentrado desde o dia 31 de maio, preparando-se para esta conquista que mais uma vez coloca o futebol brasileiro no topo do mundo.

O Brasil é penta campeão mundial, campeão da Copa América e agora campeão da Copa das Confederações. Falta ainda o objetivo maior que Parreira não se cansa de repetir, o hexacampeonato mundial na Copa do Mundo do ano que vem, nesta mesma Alemanha que recebeu muito bem os brasileiros.


Data: 29/06/2005 (quarta-feira)
Local: Waldstadium, em Frankfurt
Árbitro: Lubos Michel (Eslováquia)
Cartão vermelho: Coloccini (ARG)
Cartões amarelos: Ronaldinho Gaúcho (BRA); Coloccini, Sorín, Cambiasso, Aimar (ARG)
Gols: Adriano, aos 10min; Kaká, aos 14min do primeiro tempo; Ronaldinho Gaúcho, 1min; Adriano, aos 17min; Aimar, aos 20min do segundo tempo

BRASIL
Dida; Cicinho (Maicon), Lúcio, Roque Júnior e Gilberto; Emerson, Zé Roberto, Kaká (Renato) e Ronaldinho Gaúcho; Robinho (Juninho) e Adriano
Técnico: Carlos Alberto Parreira

ARGENTINA
Germán Lux; Javier Zanetti, Fabricio Coloccini, Gabriel Heinze e Diego Placente; Esteban Cambiasso (Pablo Aimar), Lucas Bernardi , Juan Román Riquelme e Juan Pablo Sorín; Cesar Delgado e Luciano Figueroa (Carlos Tevez)
Técnico: Jose Pekerman

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais