Deputada pede auditoria para manutenção da maternidade de Capela

0
A reunião aconteceu nesta segunda, 11 (Foto: Ascom/Kitty Lima)

Em mais um desdobramento da luta contra o fechamento da Maternidade Dra. Leonor Barreto Franco, em Capela, a deputada estadual Kitty Lima (Cidadania) esteve com o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE), Carlos Pinna, e com o presidente da corte, Ulices Andrade para pedir a realização de uma auditoria na unidade de saúde, ameaçada de fechamento pelo Governo do Estado. A reunião aconteceu nesta segunda, 11.

Acompanhada da comissão composta por representantes da gestão municipal de Capela, de funcionários da maternidade e vereadores das cidades de Capela e Nossa Senhora das Dores, Kitty expôs a problemática aos membros do TCE envolvendo o possível fechamento da unidade de saúde que atende gestantes e recém-nascidos do Vale do Cotinguiba e região, e os prejuízos que a medida poderá trazer à população.

“A gente precisa antes de tudo somar forças e é justamente isso que estamos fazendo aqui, não só com os capelenses, mas também com outros nove municípios que estão nessa mesma luta contra o fechamento da maternidade. Meu papel aqui é ajudá-los no diálogo com todos os personagens que possam de alguma forma nos auxiliar e ajudar a barrar um eventual fechamento da maternidade de Capela como quer o Governo do Estado. Já sabemos que agora a decisão só depende do governador Belivaldo Chagas, e por isso estamos fazendo a nossa parte e pedindo para que o TCE realize uma auditoria na maternidade para ver essa questão dos contratos para que tudo seja esclarecido”, disse Kitty.

De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), a maternidade de Capela possui elevados gastos mensais com a manutenção da unidade se comparada a baixa quantidade de procedimentos que são realizados, fato que justificaria o fechamento definitivo do local.

“Queremos acabar de uma vez por todas com essa história de que em Capela se realiza o parto mais caro do estado, como colocada pelo Governo do Estado, porque pela forma como eles conduzem essa conta não bate. Queremos assegurar que as sergipanas tenham o direito de ter a maternidade como opção para ter seus filhos de forma segura porque sabemos que muitas vidas foram salvas ali e queremos que essa realidade continue assim”, pontuou a parlamentar.

Fonte: Ascom/Kitty Lima

Comentários