PMA vê inconsistência e quer extinguir inquérito contra H.Campanha

0
Hospital de Campanha precisou reduzir leitos após saída de profissionais (Foto: Secom/PMA)

A Procuradoria Geral do Município de Aracaju vai encaminhar nesta sexta-feira, 24, ao Poder Judiciário as inconsistências encontradas pelo município no inquérito policial que deflagrou a Operação da Polícia Federal responsável por apurar desvio e irregularidade na licitação do Hospital de Campanha.

Durante coletiva realizada nesta sexta-feira, 24, o procurador do município Sidney Cardoso informou que identificado inconsistências no procedimento de investigação no que diz respeito a uma nota técnica da Controladoria-Geral da União (CGU). “O documento da CGU que está no inquérito é um rascunho. Solicitamos a nota técnica a CGU que nos foi negada e fomos ao inquérito policial e percebemos que ela não tem assinatura e nem número do ofício. Estamos seguros de que não existe crime a ser investigado e os fatos serão levados ao poder judiciário e estamos confiante que o processo será extinto”, avalia o procurador.

Ainda segundo Sidney Cardoso, não houve irregularidade na contratação da empresa responsável pelo hospital já que foi levado em consideração o menor preço. “A Secretaria cotou o preço com nove fornecedores e fez um chamamento, publico no dia 7 de abril e disse que qualquer interessado podia oferecer uma proposta que iríamos contratar o menor valor. O menor preço foi aceito, então não houve beneficiamento. A Secretaria atua no ambiente de transparência, todos os documentos disponibilizados a Policia federal estão na rede. Para sabermos porque a CGU concluiu o que concluiu vamos esperar ela nos apresentar o documento e ate agora ele não existe nem pra mim e nem para a própria policia federal porque não está no inquérito e por consequência, eu imagino sequer foi apresentado ao juiz”, informa.

Polícia Federal

A Polícia Federal em Sergipe disse que que a investigação se revestiu de ações técnicas e periciais embasadas na legislação vigente, acompanhadas pelo MPF e anteriormente submetidas à apreciação do Poder Judiciário.

Ainda de acordo com a PF, os documentos e demais peças arrecadados robusteceram o conjunto probatório previamente alcançado e, quando da conclusão das apurações, serão encaminhados à Justiça Federal, a quem incumbe o posterior processamento.

A Polícia Federal manifestou também total apreço pelo sofrimento das famílias sergipanas, nesse momento de dor, ao mesmo tempo em que assegura à sociedade que continuará envidando todos os esforços para manter sua missão constitucional.

Relembre

A Polícia Federal (PF) deflagrou dia 07 de julho, a Operação Serôdio, com o objetivo de obter provas para investigação que apura desvio de verbas públicas, associação criminosa, corrupção, fraudes na licitação e na execução do contrato para montagem da estrutura necessária ao funcionamento do Hospital de Campanha de Aracaju/SE. Também são procuradas provas da lisura de outras contratações concernentes ao referido hospital, a exemplo da rede de gases, rede elétrica e rede hidro sanitária.

O Portal Infonet tentou o número fixo da CGU em Sergipe sem sucesso, mas está aberta a qualquer informação pelo e-mail jornalismo@infonet.com.br.

por Aisla Vasconcelos

A matéria foi alterada às 17h40 para acréscimo de nota enviada pela PF. 
Comentários