A Mensagem Governamental lida por Belivaldo

0

Todos os anos a leitura da Mensagem do Governador, feita na abertura dos trabalhos legislativos, é um dos momentos mais solenes da Assembleia Legislativa. Este ano, a mensagem foi lida pelo próprio Governador Belivaldo Chagas que, aqui e ali, fugiu do texto oficial e colocou alguns “cacos” que causavam risada na douta plateia. Por exemplo ao anunciar eu a noite concederia entrevista ao programa “Cidade Alerta” da TV, ele disse que estava preparado para enfrentar o “deputado do pé-pé-pé”, referindo-se ao bordão popularizado pelo deputado originário de Lagarto mas eleito mesmo por Aracaju. Nesta mensagem governamental Belivaldo contou que vai ter uma semana cheia de encontros e reuniões, uma agenda bastante carregada por conta do encontro de governadores no Fórum dos Governadores já na quarta-feira, com dois temas na pauta: o texto da reforma da Previdência a ser apreciado pelo Congresso Nacional a partir da próxima semana e os projetos de lei do Ministro da Justiça, Sérgio Moro, de combate ao crime e a corrupção no país. Mas ponto forte da mensagem governamental foi a crise da Previdência, que só no Estado de Sergipe consome cem milhões de reais/mês, de tal modo que “nem sei se a partir de abril poderei pagar a folha dos servidores públicos”. Considerou uma “decisão equivocada da Petrobras” com relação à Fábrica de Fertilizantes, a Fafen, o que prejudica sem dúvida a vida econômica do Estado. “O sacrificio será inevitável”, grafou ele. Belivaldo anunciou para a segunda-feira depois do carnaval um pronunciamento pela televisão mostrando a verdadeira situação da Previdência em Sergipe. “Eu ajo com responsabilidade e coerência por isso é preciso dizer que a situação financeira do Estado é extremamente grave, aliás gravíssimo”. Prometeu “não dar as costas ao governo federal”. Belivaldo ainda teve tempo de abordar a chamada “crise das carretas”, o não-pagamento, até agora, das duas carretas do câncer, encomendadas ao tempo em que Almeida Lima era Secretário da Saúde. “Em nenhum momento pagarei 2 milhões e 700 mil reais por cada carreta, sem ter a garantia de que o material que lá está realmente custa aquele valor e que os equipamentos podem ser consertados no mercado local”. O plenário da Assembleia estava cheio, mas aos deputados não foi permitido dirigir perguntas ao governador Belivaldo.

Sem solução à vista

Aliás, uma observação à fala do Governador, que em nenhum momento foi contestado pelos senhores parlamentares. O diagnóstico da formidável crise financeira apresentada pelo Governador Belivaldo, em nenhum momento, há palavras para a saída da crise. O Governador parece não ter plano A ou B, para enfrentar a dolorosa crise. O único projeto citado por ele é contar om o apoio dos três Poderes em Sergipe. Mas, se isso não colar, adeus Amélia, Inês é morta… Estamos, portanto, no mato sem cachorro. Se o governador do Estado não tem ideias para sair da crise, quem somos nós, simples mortais, a apresentar sugestões para tal?

Volta a faltar insulina no CASE

Mais uma vez, o CASE , o órgão do Estado que oferece assistência a pacientes com doenças agudas, está sem insulina. A quem recorrer nestes casos? Não há opções. Apenas aguardar que o produto chegue e volte a ser distribuído com os pacientes de diabetes. Aliás, o CASE está adotando algumas normas com pacientes de diabetes, com o intuito talvez de desacreditar os médicos que encaminham esses pacientes para o CASE. Médico com mais de 43 anos de atuação estão com pacientes que retornam sem os produtos pedidos para que os médicos refaçam suas receitas. É uma situação constrangedora para o profissional de medicina que vê seu conhecimento ser contestado pelo CASE. Nesse momento em que o Estado passa por uma crise econômica sem precedentes é lamentável saber que faltam produtos como insulina no CASE. O Governador Belivaldo Chagas deve se inteirar do que está se passando por lá.

Só dois recebem a aposentadoria

Revelação de Belivaldo Chagas em sua fala na Assembleia: só dois ex-governadores recebem por aposentadoria de Governador. São eles João Alves Filho e Antônio Carlos Valadares. Os demais ex-governadores, incluindo aí o ex-Senador Albano Franco, não recebe um centavo…

A teimosia de Trump

Cabra teimoso este Presidente dos Estados Unidos, Mr. Donald Trump. Contra a opinião pública dos dois países, Estados Unidos e México, ele vai construir o muro de 3 quilometros na fronteira que separa os dois países. Ele acaba de declarar situação de calamidade pública para poder ter acesso a verbas públicas sem precisar da aprovação do Congresso norte-americano. Diz ele que precisa de seis bilhões de dólares para ter o muro completo. Ofereceram-lhe apenas um bilhão e meio. Isso não tapa o buraco de um dente daí porque a medida extrema que adotou agora. É a primeira vez na história americana que se vê tamanha teimosia. E esse Trump ainda conta com o apoio da Opinião Pública..

Comentários