Comissão de Ética do Cidadania investigará conduta do Palhaço Soneca

0
Palhaço Soneca e Nitinho Vitale: alegria e descontração na Festa do Mastro (Foto: Grupo WhatsApp JP&Ana)

A Comissão de Ética do Partido Cidadania vai investigar a situação em que o vereador Palhaço Soneca, licenciado das atividades parlamentares desde o mês de abril por motivos de saúde, foi flagrado participando da Festa do Mastro, em Capela.

A denúncia foi encaminhada pela Executiva Municipal do Cidadania Aracaju, que chegou a ouvir os esclarecimentos do vereador após repercussão do fato na imprensa e nas redes sociais. “Entendemos que é preciso uma melhor averiguação. Os esclarecimentos não serviram como justificativa para nós entendermos que estava tudo bem. O que será verificado é se os princípios democráticos, os valores do partido e os interesses da sociedade foram feridos”, explica Dr. Emerson, presidente da Executiva Municipal.

Depois de apurar os fatos e ouvir os esclarecimentos do Palhaço Soneca, o Conselho de Ética do Partido Cidadania vai encaminhar um relatório para que a Executiva Municipal julgue o caso, conforme regras do estatuto. “Se ficar decidido que não houve culpa, o processo é encerrado. Caso a Executiva Municipal entenda que cabe punição, a penalidade pode variar de advertência a expulsão”, explica.

A Aassessoria de imprensa do Palhaço Soneca informou que o vereador estará à disposição do partido para todos os esclarecimentos e reiterou que não houve ato ilegal ou de corrupção, mas apenas um descumprimento da ordem médica.

Relembre o caso

As fotos em que o vereador Palhaço Soneca aparece ao lado do vereador Nitinho Vitale na festa do Mastro, em Capela, ganharam repercussão por meio do aplicativo WhatsApp e posteriormente na imprensa. A polêmica é porque o Palhaço Soneca estava de licença médica – sendo uma de 90 dias para tratamento de saúde e outra de  30 dias por motivos de ordem pessoal.

Na ocasião, a assessoria de imprensa do vereador explicou que ele apenas descumpriu orientação médica para participar da Festa do Mastro e que a decisão teria sido tomada ao final da licença médica. A nota dizia ainda que o vereador estava com consciência tranquila, pois não havia cometido irregularidades.

No dia 2 de julho, vereador Lucas Aribé anunciou que o caso também seria analisado pela Comissão de Ética da Câmara de Vereadores de Aracaju. No dia seguinte, o Ministério Público do Estado instaurou procedimento para investigar o caso.

por Verlane Estácio

Comentários