A calamidade financeira está chegando

0

As palavras da moda agora são “Calamidade Financeira”. Pelo menos seis Estados por todo o Brasil já não mais a pronunciam, apenas aderiram a ela. E por isso mesmo estão comendo o pão que o diabo amassou. De quando em vez, o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, ameaça a todos nós com a tal calamidade financeira. Diz-se mesmo que, mais ou mais tarde, Sergipe vai ter que aderir a este projeto porque a situação econômica do Estado está cada dia pior. Há quem garanta que daqui a quatro ou cinco meses, o Estado não vai ter dinheiro para honrar a sua folha de pagamento. Os servidores públicos vão ficar na mão. Trabalharão 30 dias para no final do mês receber um calote oficial, agora protegido pela tal calamidade financeira. Dentro da rigidez das duas palavras, o Estado não vai pagar a quem deve, porque a prioridade é pagar a folha dos servidores – se houver dinheiro, para tanto, lógico. O Governador Belivaldo já se apressou a pedir uma audiência ao Presidente Bolsonaro para lhe explicar a situação de agrura do Estado e pedir-lhe uma ajuda. Qualquer que seja ela – mas na frente de Sergipe estão pelo menos seis Estados até agora. Que certamente já foram até o Planalto pedir arreglo. A resposta desta audiência, Belivaldo só vai ter na próxima semana, porque esta semana Bolsonaro respira o clima europeu de Davos, na Suiça, participando do encontro das grandes nações (mas neste encontro, os grandes mesmos estão preocupados com seus problemas internos, como os Estados Unidos, a França, a Inglaterra, etc., etc., etc. A coisa está tão feia que não se sabe onde o Estado vai buscar dinheiro para poder pagar o que deve. Se o nosso problema fosse igual o dos Estados Unidos, qual seja construir um muro de 6 bilhões de dólares;oui o da Inglaterra, o rompimento co o Brexit. Não temos nada disso, mas temos coisa pior: o Estado já não tem crédito na praça. E dentro de alguns meses não vai pagar nada a ninguém. Temendo coisa pior, o que se fala é que o Tribunal de Contas estaria intermediando negociações com comerciantes que tem dinheiro a receber do governo e sem a menos esperança de que isso ocorra. Então o TCE estaria propondo abatimento de 30% nas faturas para que o comerciante também não fique quebrado ou deixe de vender ao Estado. Uma pessoa amiga do escriba e muito ligada ao TCE desmentiu tais negociações. Mas, é como dizia meu velho professor de inglês, Francisco Portugal, “se non é vero, é maxi probabile”.

O Senado esbanja dinheiro

O Senado Federal deve pagar nas próximas semana, R$ 101,3 mil a três parlamentares eleitos pelo Distrito Federal a título de “auxílio-mudança”, mesmo considerando que eles já moram na Capital Federal. O benefício é garantido por um decreto de 2014, que não distingue o local de origem do político. Cada senador receberá uma ajuda de R$ 33.763, – o correspondente a um mês de salário – só para “compensar as despesas com mudança e transporte”. O auxílio-mudança é pago tanto aos recém-eleito quanto aos que estão deixando o cargo. Em 2019, isso corresponde a 46 senadores chegando e outros 46 saindo – oito parlamentares foram reeleitos. Até o final da semana passada, o Senado ainda não tinha feito os pagamentos. A data para isso ainda precisa ser definida. Para todo o grupo de políticos do País, o Senado prevê um desembolso de R$ 3,6 milhões com o auxílio este ano. Até o momento seis senadores renunciaram a ajuda de custo de final de mandato e, portanto, 48 senadores receberão o benefício. Os senadores que tomarão posse em fevereiro, 14 renunciaram e 40 senadores eleitos em outubro receberão o auxílio de início de mandato, informa o próprio Senado.

Inscrições no SISU

Os candidatos que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2018 e não tiraram nota zero na prova de redação podem se inscrever no Sistema de Seleção Unificada. Em Sergipe, a Universidade Federal de Sergipe e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS) estão aptos a realizarem as inscrições, distribuídas em 6.845 vagas autorizadas para o sistema nos 118 cursos. De acordo coma Coordenadora do programa Pré-Universitário do Goveerno de Sergipe, D. Gilvânia Guimarães, as inscrições devem ser feitas na página do Sisu. Cada candidato pode se inscrever e até duas vagas, especificando a ordem de preferência e o turno na qual o aluno se encaixa – ampla concorrência ou alguma relativa às ações afirmativas (com critérios raciais ou sociais). As inscrições para a edição do primeiro semestre de 2w019 do Sisu fora abertas na madrugada desta terça-feira. Nesta edição, em todo o País, foram abertas 235.461 vagas em 129 instituições.

Duas sergipanas tiraram 1.000 no Enem

Pelo menos duas jovens sergipanas ficaram entre os cinquenta que lograram obter a nota máxima da prova de redação – mil pontos – na prova do Enem. 110 mil estudantes tiraram zero e foram reprovados, evidentemente. Só 50 no Brasil todo obtiveram mil pontos, sendo dois de Sergipe. As duas jovens estudaram no mesmo cursinho com a mesma professora.

 

Comentários