Blogs

Odilon Machado

Professor emérito da Universidade Federal de Sergipe, onde foi chefe do Departamento de Física e Diretor do Centro de Ciências Exatas e Tecnologia. Vem colaborando como articulista com o Jornal de Sergipe, Gazeta de Sergipe, Jornal da Cidade e o Correio de Sergipe. É autor do livro de crônicas “Despercebido, …mas não indiferente”, e outros trabalhos de interesse acadêmico.

Deux Généraux VII.

De Gaulle começaria uma carreira política de muitas vitórias, sempre demonstrando saber sair dos cargos a tempo, não insistindo quando a maré lhe era desfavorável. No princípio, como chefe da nação e do governo provisório, quando

Deux Généreaux VI.

Propagnada pedindo clemência para Pétain; Eis o grito do povo: Viva Petain.Chegara o momento difícil de pacificação da alma francesa dividida entre desertores e colaboracionistas e seus combatentes. E cada caso era um caso diferente

Deux Généreaux V

O desentendimento russo-alemão e a conseqüente invasão alemã ao solo soviético em demanda de Stalingrado mudariam o perfil da guerra. Da Inglaterra continuava De Gaulle a conclamar os franceses para a resistência. Em seu discurso

Deux Généraux IV.

Neste culto à personalidade, com ampla divulgação na imprensa, louvava-se, não só a inteligência e o vigor físico do velho Marechal Pétain, como até a beleza de seus olhos azuis. Tudo aquilo que testemunhava um excesso de senilidade,

Deux Généreaux III.

No forte de Ingolstadt, na Baviera, um campo de represálias, destinado aos prisioneiros recalcitrantes De Gaule irá se relacionar com o futuro General Georges Catroux, o aviador Roland Garros, o jornalista Rémy Roure, o editor

Deux Généreaux II.

As perdas da Alsácia e a Lorena, trocando de lado, ora germânico, ora gaulês, desde as guerras napoleônicas traziam consigo a humilhação e o sangue derramdo, numa ferida muito dorida e sentida, no âmago familiar da pátria, porquanto em

Deux Généreaux I.

Dois generais, dois heróis, duas personalidades diferentes, duas concepções distintas a serviço de sua pátria: a França. O primeiro, Henri Philippe Benoni Omer Joseph Pétain (1856-1951), renomado como “le vainqueur de Verdun”, o